16
Dezembro
 
SERÁ QUE TAQUES TERIA CORAGEM DE REPETIR HOJE O MESMO DISCURSO QUE JÁ FEZ EM SINOP?

"Daqui vamos para o Ministério Público, porque nosso governo não tem medo de entrar lá e sair preso", esta frase foi dita pelo governador Pedro Taques na primeira visita oficial a Sinop. As testemunhas foram os jornalistas que o recepcionaram o chefe do poder executivo estadual em uma coletiva polêmica logo depois dele desembarcar no aeroporto regional rodeado de assessores, entre eles Pirminio Filho, então secretário estadual de educação, hoje reeducando

Pirminio prestou depoimento quinta-feira na operação que investiga desvios nas obras de construção, reforma e ampliação de 29 escolas no estado de Mato Grosso e disparou: "A propina era para pagar dívidas da campanha de Taques". Valores, segundo a denuncia, eram cobrados das empreiteiras para que elas vencessem de forma fraudulenta as licitações. Dinheiro que cairia nas mãos de empresários e políticos, entre eles o deputado Nilson Leitão (PSDB) de Sinop e Alan Malluf, coordenador financeiro da campanha de Taques, que segundo a delação teria investido R$ 10 milhões em caixa 2, e hoje também é reeducando.


Então hoje, depois das delações que já ocorreram, que estão ocorrendo e que virão num futuro próximo me questiono, será que o governador de Mato Grosso, Pedro Taques, tem coragem de repetir a frase que disse em Sinop. "Daqui vamos para o Ministério Público, porque nosso governo não tem medo de entrar lá e sair preso".


A justiça decretou a prisão do empresario Alan Maluf, citado na delação junto com Nilson Leitão e Pedro Taques, mas você sabe a diferença entre eles? O foro privilegiado, sem ele, será que continuariam soltos? Na opinião deste simples blogueiro, não. Mas quem tem acesso aos depoimentos se assusta com a riqueza de detalhes e não descarta surpresas natalinas para fechar o ano de 2016.


Pra quem enchia a boca pra falar dos outros, o exemplo não esta sendo nada louvável, pelo contrário, porque ele pode até esconder, mas eu lembro muito bem o que o governador disse ao saber das primeiras denúncias contra Pirminio.  “O secretário Permínio pediu o seu afastamento e eu determinei o seu afastamento. Um grande gesto de homem público dele, até que esse fato seja resolvido sem um pré-julgamento”, defendeu Taques em reportagem publicada em maio desta ano, no endereço do site (LEIA AQUI).


Nesta mesma reportagem Taques disse que Pirminio não era investigado, curiosamente ele foi preso dias depois e segue reeducando até hoje. Estranho não é mesmo, como que Taques saberia que Pirminio não era investigado? Ele segue procurador ou é governador? Talvez isso explique tamanha incompetência, ele esquece a função que precisa exercer, se preocupa demais em apontar o erro dos outros e esquece de cumprir com o que prometeu. Só um recado pequeno governador, quem aponta os erros é o eleitor e na urna, não tenha medo de encara-la em 2018. Pois, quem sabe até lá, o povo aprenda dar:


HONRA QUEM TEM HONRA


Por: João B. da Silva (JOÃO MAGUILA)


0
Comentários    |    Comente esta matéria
Pesquisar:
 
Postagens:
Quem sou eu

Sou uma pessoa extremamente revoltada com a desigualdade social, e com as pilantragens de alguns políticos, acho lamentável que os nossos representantes não tenham coragem de enfrentar os problemas do nosso país, em especial no meu estado de Mato Grosso.