06
Janeiro
 
ALTO CELESTE, TERRA DE HOMENS E MULHERES TRABALHADORES, MAS, QUE VIROU PRESA FÁCIL DE POLÍTICOS APROVEITADORES

Está marcada para sábado próximo, 07/01/2017, uma grandiosa reunião no assentamento Alto Celeste, município de Vera. A pauta da reunião, segundo fontes ligado ao grupo, será para tratar entre outros assuntos, o projeto de reflorestamento das parcelas dos assentados

Este assunto, reflorestamento, já foi assunto de outras reuniões no passado, onde o ex-presidente da Câmara de vereadores, prometeu que faria uma parceria com os assentados e a Câmara, se comprometendo em doar toda a semente e mudas que fosse necessária para o reflorestamento. O presidente não se reelegeu e o plano falhou.


Agora sobre o comando de um representante local, o assunto vem a baila novamente. A questão é que tal líder orientado pela assessora parlamentar da Assembleia Legislativa do Estado, ligada ao gabinete do coordenador da frente parlamentar de regularização fundiária, já arrecadaram muito dinheiro dos assentados alegando ser para custear despesas com uma equipe do exército para encontrar e atestar a existência de um córrego no assentamento, denunciamos o caso e a situação fora esclarecida pelo exército, onde o mesmo disse não prestar serviços para pessoa física ou jurídica privada.


Ou seja, o exército na época deixou bem claro que só presta serviço através de convenio entre entes públicos ou demanda provocada pelo STF; sim! mas e o dinheiro arrecadado pra não dizes surrupiado? Qual foi a sua destinação? Pois bem, de acordo com informações, no sábado estarão todos os secretários de Vera no assentamento, estará também a assessora parlamentar da Assemblei Legislativa.


Mesmo que de longe mas com os olhos na reunião, estaremos de olho na discussão sobre o reflorestamento de uma área que ainda se quer não foi regularizada. Será que vão pedir dinheiro aos assentados novamente? E a praia? E as despesas de campanha? Estamos de olho vivo na situação.


Só quero dizer que tenho o ofício solicitante do serviço de perícia ao exército brasileiro, ofício assinado pelo coordenador da frente parlamentar de regularização fundiária, deputado Dilmar Dal“Bosco, onde o mesmo diz que o serviço seria isento de taxas nos termos da legislação em vigor.


Tenho também os esclarecimentos do exército que diz não prestar serviço para pessoa física ou jurídica privada. Nada aqui fica no disque me disse, tudo tem a marca JM que quer apenas que os políticos levam condições e dinheiro aos assentados e não tirar deste povo trabalhador pagador de impostos e dos salários dos políticos que em época de eleição, promete o mundo e o fundo e após eleitos, mete a faca no pescoço dos trabalhadores.


O povo já estão cheios de promessas, de perder tempo e dinheiro com festas e reuniões de políticos e assessores que não sabe dar:


HONRA A QUEM TEM HONRA


Por: João B. da Silva (JOÃO MAGUILA)

0
Comentários    |    Comente esta matéria
Pesquisar:
 
Postagens:
Quem sou eu

Sou uma pessoa extremamente revoltada com a desigualdade social, e com as pilantragens de alguns políticos, acho lamentável que os nossos representantes não tenham coragem de enfrentar os problemas do nosso país, em especial no meu estado de Mato Grosso.