Publicidade:
9 de Dezembro, 2019 - 10:36
Deltan Dallagnol move ação contra Gilmar Mendes e pede indenização de R$ 59 mil

O coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, ajuizou ação com pedido de danos morais contra o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). O autor pede R$ 59 mil por reiteradas ofensas contra ele durante entrevistas concedidas pelo magistrado.

Uma entrevista citada na ação foi concedida à Rádio Gaúcha em 7 de agosto de 2019. Na ocasião Gilmar afirmou que a força-tarefa seria uma organização criminosa, formada por “gente muito baixa, muito desqualificada”.

O procurador menciona ainda fala de Gilmar Mendes numa sessão de julgamento, em 14 de março de 2019, em que ele chamou os integrantes da força-tarefa de “cretinos”, “gentalhada”, “desqualificada”, “despreparada”, “covardes”, “gângster”, “organização criminosa”, “voluptuosos”, “voluntaristas”, “espúrios”, “patifaria” e “vendilhões do templo”.

Outra manifestação juntada no processo aconteceu em outra sessão de julgamento, desta vez em 2 de fevereiro, quando Gilmar Mendes chamou os procuradores de “falsos heróis” que combateriam o crime “cometendo crime”, numa “organização criminosa de Curitiba”, a mando de “gângster”.

A ação foi movida contra a União, que, na prática, paga a multa, se condenada, e cobra em seguida o valor do ministro. “A verdade é que o autor foi – e vem sendo – publicamente humilhado pelo Ministro. O ofensor tinha plena consciência da repercussão de suas palavras, bem como de suas consequências, eis que notório conhecedor do Direito”, declarou o advogado Pedro Henrique Xavier, que representa Dallagnol.

Fonte: BNnews
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Redes Sociais