Publicidade:
7 de Dezembro, 2019 - 19:38
Bolsonaro determina, e governo desiste de excluir categorias profissionais do MEI

Após uma onda de críticas e por determinação do presidente Jair Bolsonaro, o Comitê Gestor do Simples Nacional informou neste sábado (7) que proporá a revogação de uma medida que excluiu 14 categorias profissionais do MEI (Microempreendedor Individual).

A Resolução editada na sexta-feira (6) faria com que, na prática, uma série de profissões, como músicos e professores particulares, não pudesse mais ter representação jurídica por meio de empresas classificadas na Receita Federal como MEI. A mudança passaria a valer em janeiro.

A medida caiu mal no meio político e também na própria equipe de Paulo Guedes (Economia).

Na tarde deste sábado, Bolsonaro disse ter ordenado a reversão da medida.

Determinei que seja enviada ao Comitê Gestor do Simples Nacional a proposta de revogação da resolução que aprova revisão de uma série de atividades do MEI e que resultou na exclusão de algumas atividades do regime", afirmou o presidente em sua conta no Twitter.

O Comitê, formado por quatro membros da Receita e quatro representantes de estados e municípios, informou que proporá a revogação.

Em nota, disse ainda que encaminhará proposta de revisão ampla das ocupações que podem atuar no regime, atualmente totalizando cerca de 500 atividades.

ATIVIDADES QUE SERIAM EXCLUÍDAS DO MEI

Astrólogo

Cantor/músico

Disc jockey (DJ) ou video jockey (VJ)

Esteticista

Humorista e contador de histórias

Instrutor de arte e cultura em geral

Instrutor de artes cênicas

Instrutor de cursos gerenciais

Instrutor de cursos preparatórios

Instrutor de idiomas

Instrutor de informática

Instrutor de música

Professor particular

Proprietário de bar e congêneres, com entretenimento

Fonte: BNnews
6 de Dezembro, 2019 - 17:00
Dilma é chamada de “bandida” e bate boca com passageiros em voo: "Defendem milícia”

O ex-presidente Dilma Rousseff foi agredida verbalmente durante um voo, nesta sexta-feira (06), e rebateu as ofensas.

“Dilma, sua hora vai chegar”, disseram os passageiros, enquanto cantavam e batiam palmas. “Ótimo é o Bolsonaro”, respondeu a ex-presidente. “Eu sei o que vocês defendem. Defendem milícias”, rebateu.

“Sai daí, bandida, quebrou o país”, continuaram. “Ah, fui eu, é?”, perguntou Dilma. “A senhora também”, responderam.

Fonte: BNnews
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Redes Sociais