Publicidade:
12 de Novembro, 2019 - 07:39
Três PMs são presos por "carona" para mulheres em viatura em MT

Três policiais militares, identificados como A.A.R., 25 anos, R.F.F, 38, e L.F.S.N., 35 anos, foram detidos após dar carona para mulheres em uma viatura da Polícia Militar do estado de Mato Grosso. O caso foi registrado na noite de domingo (10), em Rondonópolis (218 km de Cuiabá).

Um dos policiais detidos é lotado no Comando Geral da Polícia Militar. Ele estava na região Sul do Estado para participar da operação de segurança para o Enem 2019, realizado neste domingo.

As informações que constam no boletim de ocorrência são de que um tenente da PM flagrou o momento em que a viatura da “passou” pela rua Dom Pedro II com a tampa do porta-malas aberta e a presença de duas mulheres no interior do carro. O tenente tentou avisar os colegas de farda, porém não obteve êxito.

Em seguida, o policial tentou contato via rádio e Ciosp avisando o ocorrido para as demais viaturas, pois suspeitava que o carro da guarnição poderia ter sido furtado. Com o alerta, uma equipe policial conseguiu realizar a abordagem da viatura, sendo localizado o soldado “L.F.S.N”.

O subtenente que realizou a abordagem indagou ao soldado se ele iria realizar o exame de alcoolemia, mas ele negou. Questionado se estava na companhia de alguma mulher, o soldado respondeu que sua prima estava na viatura.

Em seguida, a equipe policial deslocou-se até a companhia ambiental para verificar se os outros policiais estavam na unidade e lá localizou o cabo “R.F.F.” e o soldado “A.A.R.”, que relataram o ocorrido. Após ouvir as versões, foi constatada a existência de crime militar de peculato, uma vez que a viatura foi usada para fins particulares.

Com isso, foi realizada a condução dos policiais até a sede do 4º Comando Regional. O capitão foi informado sobre a prisão e verificou que os policiais militares conduzidos deveriam estar no município de Itiquira, envolvidos no “plano de operação Enem 2019”.

As informações constam em boletim de ocorrência registrado no 5º Batalhão da Polícia Militar. O caso ainda será apurado pela Corregedoria da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso.


Fonte: Folha Max
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Redes Sociais