Publicidade:
8 de Novembro, 2019 - 14:12
Deputado acusa líder do governo de trabalhar para barrar projetos

O deputado disse que estão assinando para matar os projetos que beneficiam a segurança pública de Mato Grosso

Na noite do dia 06 de novembro (quarta-feira) o deputado estadual Elizeu Nascimento (DC), através de uma live no facebook, acusou o presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e líder do governo na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, Dilmar Dal Bosco, de usar subterfúgios para barrar projetos que beneficiam a segurança pública.

No vídeo de mais de 30 minutos o deputado diz, que o auxilio fardamento é um direito dos policiais e bombeiros militares e cabe ao governo do Estado realizar a aquisição dos uniformes.

"O fardamento gratuito é um direito, dos soldados aos oficiais e dos praças aos coronéis, e a responsabilidade da aquisição dos uniformes é do governo do estado de Mato Grosso, mas infelizmente o governo está transferindo essa responsabilidade", lamentou o parlamentar, que ainda fez acusações ao seu colega de parlamento. "O deputado Dilmar Dal Bosco tem trabalhado "incansavelmente" para que alguns projetos não sejam aprovados pela comissão desta casa e com isso nem chegar a plenário para ser votado, não irei omitir os nomes daqueles deputados que estão assinando para matar os projetos que beneficiam a segurança pública, a categoria saberá quem  realmente está com eles e os que estão contra eles, a cada dia que passa me desaponto mais com o líder do governo", disse.

O Coronel Jonildo José de Assis, comandante geral da Polícia Militar de Mato Grosso, está reivindicando, junto aos deputados estaduais de Mato Grosso, recursos financeiros para a compra de fardamento para os profissionais da segurança pública. A corporação não recebe fardamentos há cinco anos.

"Se o governo cumprisse com a sua obrigação, o recurso que será destinado para a aquisição dos uniformes poderia ser usado para compra de coletes balísticos, munições, reformas dos prédios, que estão caindo na cabeça dos policiais, aquisição de viaturas ou então em cursos, como os de Adaptação de Oficiais Complementar (CAOC), de Formação de Sargento (CFS) de Formação de Oficiais (CFO) e outras ferramentas para melhorar as condições de trabalho e capacitar os meus irmãos de farda", desabafou o parlamentar.


Da assessoria


Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Redes Sociais