Publicidade:
12 de Novembro, 2019 - 13:48
Dois deputados de MT devem abandonar PSL e seguir Bolsonaro em novo partido

Principais lideranças do PSL em Mato Grosso e defensores do presidente Jair Bolsonaro, os deputados Delegado Claudinei (estadual) e Nelson Barbudo (federal), já se preparam para deixar a legenda e acompanhar o presidente que confirmou sua saída da sigla. A previsão é que Bolsonaro anuncie ainda nesta terça-feira (12) seu novo partido.

O presidente já convocou aliados para acompanhá-lo na criação de um novo partido que deve ser batizado como “Aliança pelo Brasil”. Na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o deputado Silvio Fávero também integra a bancada do PSL. Mas por enquanto, somente o Delegado Claudinei confirma que deixará a sigla para acompanhar Bolsonaro.

Em suas redes sociais, o Delegado Claudinei, que é representante do município de Rondonópolis e região, tem compartilhado links de matérias nacionais que falam sobre a saída do presidente do PSL. Ao Agora MTele confirmou que vai seguir o presidente na nova legenda.

“Eu pretendo acompanhar o presidente Bolsonaro. O partido que ele for eu vou estar junto, só vou ter esse cuidado da questão da fidelidade partidária. Tem que ver a questão de partido novo, como é que vai ficar”, informou o parlamentar ao explicar que sua assessoria jurídica vai analisar a questão para não correr risco de perder o mandato.

A preocupação é sobre possível contestação de lideranças do partido pelo qual foi eleito. “O PSL pode questionar e a gente perder o mandato, caso não tenha liberação do partido. Então a gente tem que ver essa forma legal de não arriscar perder o mandato, mas tirando isso com certeza vou estar junto com o presidente Bolsonaro, vou estar saindo do PSL”, enfatizou o delegado Claudinei.

Já o deputado federal Nelson Barbudo, presidente do Diretório Estadual do PSL, tem uma reunião em Brasília na tarde desta terça-feira para definir sobre essa questão. O encontro será realizado no Palácio do Planalto. “Só depois dessa reunião é que teremos uma noção do que vai acontecer. O presidente convidou seus aliados, entre eles o deputado”, informou a assessoria do parlamentar.

A saída do presidente Jair Bolsonaro do PSL se deve à crise interna e enfrentamentos entre ele e o presidente nacional do partido, Luciano Bivar, que se arrasta há meses por causa do comando do partido e os milhões dos fundos partidário e eleitoral de olho nas eleições municipais de 2020.


Fonte: agoramt
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Redes Sociais