Publicidade:
10 de Agosto, 2020 - 14:48
Fávaro articula reunião com Eraí e oferece suplência a Júlio Campos para tirar DEM de Nilson Leitão

Uma reunião acontece nesta segunda-feira (10) entre o ex-governador Júlio Campos (DEM) e o senador interino Carlos Fávaro (PSD). A intenção do encontro, que também deve contar com o empresário Eraí Maggi (PP) e Fábio Garcia (DEM), é tentar demover Júlio da ideia de ser suplente de Nilson Leitão, pré-candidato ao Senado pelo PSDB.

Desde que o ex-governador Blairo Maggi deixou o governo, em 2010, Eraí é articular e apoiar financeiro das maiores campanhas vitoriosas de Mato Grosso. Inclusive, o proprietário da empresa de grãos Bom Futuro é um dos amigos de Fávaro e teria cedido seu escritório para a realização dessa reunião.

"Nada mais é do que chamar o Júlio para compor conosco", disse uma fonte ligada ao senador Carlos Fávaro, sobre essa reunião que acontece nesta manhã. Júlio, até o primeiro semestre desse ano seria o candidato do Democratas ao Senado, na vaga suplementar deixada por Selma Arruda.

Mas, com a mudança de datas de eleição devido a pandemia e por fazer parte do grupo de risco, com 73 anos e ser transplantado, Júlio Campos decidiu não disputar a vaga.

Com isso, ao receber um convite do candidato Nilson Leitão, parte do grupo do Democratas, formado pelo senador Jayme Campos e Dilmar Dal Bosco, decidiu que seguiria com o candidato do PSDB e Júlio seria o 1º suplente. Sendo o segundo apontado pelo também senador Wellington Fagundes (PL).

Esse convite de Fávaro a Júlio Campos também passa pelo crivo do governador Mauro Mendes, que já disse que apoiaria Carlos Fávaro, assim como fez em 2018.

No entanto, Jayme não voltaria atrás e seguiria, mesmo que solitariamente, com Nilson. Essa decisão de Jayme e Júlio estarem com o PSDB seria uma retaliação por conta do grupo do governador estar tratando da eleição municipal de Cuiabá sem consultar os irmãos Campos. A articulação do nome estaria acontecendo sem a presença do senador e do ex-governador.

Mas Mauro já retornou do tratamento hospitalar em São Paulo e a diretoria do DEM deve se reunir ainda neste início da semana para poder tratar sobre o caminho a seguir em Cuiabá e no Senado. Por Fávaro e Eraí, Julio e o DEM caminhariam com o PSD e abandonariam Leitão.

Por outro lado, Leitão confia no "fio do bigode" e na palavra de Jayme e Júlio para começar a campanha, depois do dia 16 de setembro. 


Fonte: Olhar direto
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Redes Sociais