Anuncie Aqui    |    Denuncie    |    Contato    
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
Bem Vindo ao Nortão Notícias, 29 de Julho de 2017
Pesquisar no site
Política
     
19 de Julho, 2017 - 14:05
Movimento sociais internos do PSB dizem não a volta do deputado federal Fábio Garcia

Os Movimentos Sociais do PSB de MT estão perplexos com a decisão judicial desrespeitosa e inadequada que supostamente "devolveu" a presidência do PSB de MT a Fábio García.

Decisão desrespeitosa porque desprezou as regras estatutárias do PSB.

Decisão inadequada porque dada por um Juiz da 8ª Vara Cível de Cuiabá, Emerson Luiz Pereira Cajango, porque a sede da Direção Nacional do PSB é em Brasília e não em Cuiabá.

Na verdade é uma decisão que não tem qualquer validade no âmbito jurídico e será mudada, por sua incompetência jurídica absoluta e totalmente na contramão das regras estatutárias do PSB.

Os partidos políticos são entidades autónomas e tem a prerrogativa constitucional de aprovar seus estatutos e definir sua estrutura interna, sua organização e funcionamento.

O Estatuto Partidário do PSB confere à Direção Executiva Nacional a prerrogativa de controlar o funcionamento dos órgãos estaduais e municipais, inclusive no tocante à hipótese de mudança das comissões provisórias, conforme admite o parágrafo 4° do artigo 23, ao assegurar que a Direção hierarquicamente superior pode a critério e a qualquer tempo dissolver ou designar novas comissões provisórias.

A Direção Nacional nada mais fez do que aplicar harmoniosamente a regra estatutária do parágrafo 4° do artigo 23 do Estatuto Partidário do PSB, dando tratamento jurídico adequado e correto quando mudou a Direção no Estado de Mato Grosso.

Agora, é inconcebível que ex-membros da Direção Estadual de MT, que sempre foi provisória, conseguir na Justiça, a injustiça de continuar a presidir um partido político de esquerda, capitalistas de carteirinha que são.

Não concordamos com essa decisão judicial exdrúxula e muito menos com o comportamento vil do "suposto" presidente Fábio Garcia.

O Dep. Federal Fábio Garcia tem demostrado uma fidelidade canina, ao Presidente golpista (Michel Temer), cujo governo o PSB democraticamente decidiu retirar o seu apoio.

O Dep. Federal Fábio Garcia tem reiteradamente contrariado as orientações partidárias do PSB, colocando o Partido e toda a sua militância em pleno constrangimento frente à sociedade brasileira e, especialmente, a sociedade mato-grossense.

O Dep. Federal Fábio Garcia votou a favor da reforma trabalhista que retira direitos dos trabalhadores.

O Dep. Federal Fábio Garcia votou pela absolvição do presidente Michel Temer acusado de corrupção.

Essas condutas do Dep. Federal Fábio Garcia contraria a orientação da Executiva Nacional do PSB, demonstrando seu total desconhecimento do estatuto Partidário do PSB, a sua história de lutas e conquistas em favor dos trabalhadores e dos segmentos vulneráveis da sociedade, os menos favorecidos, suas raízes e os movimentos sociais.

Aliás, o Dep. Federal Fábio Garcia nunca foi PSB. Ele, por óbvio, está nos confundidos com seu partido anterior, o PSDB.

Aproveitamos a oportunidade para pedir a imediata e irrevogável expulsão de Fábio Paulino Garcia e seu grupo de empresários capitalista dos quadros do Partido Socialista Brasileiro, porque estão desmoralizando nossa história de lutas e conquistas.

Para nós dos Movimentos Sociais é vergonhoso e desonroso ter em nossos quadros um parlamentar da estirpe do Dep. Federal Fábio Garcia, desqualificando o nosso Partido.

Então Senhor Presidente Nacional do PSB, Dr Carlos Siqueira:

Pedimos a expulsão imediata de Fábio Paulino Garcia e todo o seu grupo do PSB de MT.


Fonte: Informe Aberto
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
19 de Julho, 2017 - 09:59
Homem tenta estuprar idosa e é preso em Cuiabá

Um idoso de 60 anos foi preso pela Polícia Militar após atacar uma aposentada de 73 para tentar abusar sexualmente dela. Ele ainda agrediu uma técnica de enfermagem no bairro Três Barras, em Cuiabá, nesta terça-feira (18).

A técnica de enfermagem de 33 anos esteve na base da PM do bairro por volta das 7h20 denunciando o idoso J.F.M. Segundo ela, o acusado foi para cima de sua avó segurando o seu órgão genital tentando agarrá-la.

A vítima gritou pedindo ajuda a populares assustando o suspeito, que a soltou.

A neta da idosa foi até o idoso tirar satisfação. Porém, ele não gostou e a agrediu com socos. Em seguida, ele fugiu andando.

Com as características do suspeito, policiais militares saíram em rondas pelo bairro e conseguiram localizá-lo nas proximidades. O homem recebeu voz de prisão e foi encaminhado para a Central de Flagrantes.

De lá, o idoso foi conduzido a uma audiência de custódia no Fórum de Cuiabá.


Fonte: Folha Max
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
19 de Julho, 2017 - 09:48
Janaína e Juarez vão conversar para definirem a melhor estratégia para 2018

A deputada estadual Janaína Riva e o ex-prefeito de Sinop, Juarez Costa, ambos do PMDB, devem se reunir na próxima semana em Cuiabá para tratarem junto do presidente do partido, o deputado federal Carlos Bezerra, para definirem a melhor estratégia da legenda para as eleições de 2018.

Acontece que além do peso do sobrenome a atuação de Janaína na oposição ao governador Pedro Taques a creditaram para uma disputa das cadeiras da Câmara dos Deputados. Só que o principal nome da legenda até então era do ex-prefeito de SInop e como ambos contam com fortes bases eleitorais no norte do estado a preocupação dos comandantes do partido é que acabem dividindo votos.

Procurada, Janaína diz que só pensa no momento no trabalho como deputada estadual e que precisa de dedicação integral devido aos problemas que o estado atravessa. Já o ex-prefeito de Sinop diz que no momento não fala do assunto, está descansando e cuidando da família após oito anos de intensa dedicação a prefeitura de Sinop.

Se Janaína seguir como candidata a assembleia, Juarez seria o puxador de votos para a Câmara, mas dependendo do que as pesquisas apontarem não está descartada a possibilidade de ambos disputarem votos para deputados federais. Bezerra acredita que Janaína e Costa juntos fortaleceria a legenda e enfraqueceria adversários políticos como Xuxu Dal´molim e Nilson Leitão, que disputam votos nas mesmas regiões.


Da redação


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
19 de Julho, 2017 - 08:18
Com dificuldades para se viabilizar à reeleição pelo PSD, senador estuda opções e deve aderir ao PR

Consciente que dificilmente conseguirá viabilizar sua candidatura à reeleição no PSD, o senador José Medeiros já se articula para mudar de partido. Apesar de ter recebido convites do PMDB, PTB, do recém-criado Podemos e de siglas menores, tende a aderir ao PR. A migração já teria até data: 2 de abril de 2018, quando encerra o prazo para os candidatos estarem filiados à sigla pelo qual disputarão as eleições. O senador estica a corda para avaliar o cenário mais completo.

Medeiros estuda migrar para o PR baseado nas declarações de lideranças do próprio PSD. Em reuniões políticas com aliados, os dirigentes têm reiterado que o vice-governador Carlos Fávaro será o candidato majoritário da sigla e defendem a reedição da chapa com o governador Pedro Taques em 2018.

O posicionamento do PSD, de buscar a manutenção de Fávaro como vice-governador, deixa pouco espaço para a sigla reivindicar candidatura ao Senado na aliança que se forma em torno da candidatura à reeleição de Taques.

Prevendo que será “rifado” pelos correligionários, Medeiros está a caminho do PR porque avalia que será mais fácil se viabilizar na legenda republicana.

Apesar do PR contar com dois senadores, Medeiros acredita que a viabilização da candidatura à reeleição pela sigla tende a ser tranquila. A avaliação leva em contra a situação política de Wellington Fagundes e Cidinho Santos.

Wellington foi eleito em 2014 e, portanto, está na metade do mandato. Já Cidinho, que suplente de Blairo Maggi (PP) e ocupa o cargo enquanto o titular está no Ministério da Agricultura, dificilmente disputará a reeleição considerando que seu “padrinho político” costuma dizer que deve concorrer ao cargo novamente. Nome de Wellington, entretanto, é lembrado para a disputa ao governo, o que também poderia inviabilizar candidatura de Medeiros. Talvez por isso o senador postergue o anúncio.

Embora deva aguardar o prazo previsto no calendário eleitoral para oficializar a mudança, Medeiros pode migrar a qualquer momento. Isso porque decisão do Supremo Tribunal Federal de 2015 descarta infidelidade partidária para cargo majoritário.

Em 2018, duas vagas ao Senado estarão em disputa. Além de Medeiros e Blairo, outros nomes se articulam nos bastidores. A lista inclui o deputado federal Valtenir Pereira (PSB), o ex-senador Jayme Campos e a ex-reitora da UFMT Maria Lúcia Cavalli Neder (PCdoB). E o comunicador Antero Paes de Barros, que deve se filiar ao Podemos, também é lembrado para a disputa.


Fonte: RDNews
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
18 de Julho, 2017 - 17:12
STF nega pedido de Valtenir para voltar de licença

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmem Lúcia, indeferiu o mandado de segurança impetrado pelo deputado federal Valtenir Pereira (PSB) para tentar reassumir o cargo na Câmara dos Deputados, mesmo não tendo cumprido os 120 dias da licença parlamentar solicitada por ele mesmo. A decisão foi proferida na última segunda-feira (17).

Valtenir saiu de licença após ter sido recomendado a afastar-se de suas atividades parlamentares por questões de saúde. No entanto, nos bastidores, ele teria se licenciado para não participar da votação em que decide se a Câmara dos Deputados autoriza ou não o STF instaurar ação penal contra o presidente da República Michel Temer (PMDB) por corrupção.

Em seu lugar, assumiu Rogério Silva (PMDB), que é ex-vereador de Tangará da Serra (240 km de Cuiabá), que renunciou ao cargo no legislativo Municipal para assumir a vaga.

No mandado de segurança, Valtenir relata que, após recomendação médica, solicitou ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), licença para tratamento de saúde por 9 dias e, na sequência, licença para tratar de interesses particulares por 112 dias.

No entanto, alega que protocolou junto à Presidência da Câmara dos Deputados o pedido de reassunção imediata do mandato parlamentar, uma vez que houve melhoria do quadro de saúde e a não há urgência do tratamento.

Porém, teve pedido indeferido pela presidência que entendeu que “a formalização de requerimento de licença consecutiva que enseja a convocação de suplente é ato irretratável”. Desse modo, recorreu à justiça para recuperar o cargo sob a alegação de ter sido desconsiderada a soberania popular que o conduziu à titularidade do cargo de deputado federal.

Para a ministra Carmem Lucia, a matéria é de cuidado único e interno do corpo legislativo competente de modo que a competência do Poder Judiciário é apena limitando-se à questão de organização e dinâmica interna dos órgãos que compõem os Poderes Legislativo e Executivo.

Aponta que o afastamento provocado por pelo deputado federal garante “segurança jurídica ao suplente”, além de preservar sua independência com relação ao parlamentar licenciado, “inviabilizando o cancelamento da licença por discordância circunstancial com o alinhamento político do suplente convocado para assumir a vaga”.

Desse modo, a ministra indeferiu o pedido de liminar. “Conquanto a matéria relativa à licença de parlamentar possa, em alguma situação, ser judicialmente questionada com base em normas constitucionais, não é esse, reitere-se, o caso aqui apresentado. Nesse, a discussão da validade da licença e de sua pendência resolve-se, como se depreende do relato apresentado pelo Impetrante, com base nas normas internas da Casa Legislativa”, diz.

Licença de Valtenir – O deputado Valtenir Pereira deixou o PMDB e assumiu o PSB em 14 de junho. Na ocasião de sua licença, foi duramente criticado até por membros do próprio partido por suposta “proteção a Temer”.


Fonte: Gazeta Digital
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
18 de Julho, 2017 - 16:42
Taques defende ex-chefe da Casa Civil e alerta que "coisas precisam ser desvendadas" em MT

O governador Pedro Taques (PSDB) defendeu o ex-secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, das acusações de que o advogado seria um dos responsáveis pelos pedidos de interceptações telefônicas ilegais no Estado. O tucano afirmou que o primo cumpriu seu dever constitucional ao informar sobre suspeitas de possível organização criminosa que agiria contra ele e, por isso, solicitou investigações da Polícia Civil.

Paulo Taques é apontado como um dos responsáveis por solicitar escutas telefônicas ilegais. Em depoimento ao secretário estadual de Segurança Pública, Rogers Jarbas, a delegada Alana Cardoso revelou que o advogado teria sido o responsável por solicitar as investigações que culminaram com as interceptações telefônicas ilegais contra sua ex-amante, a publicitária Tatiana Sangalli Padilha, e sua ex-assessora, Caroline Mariano dos Santos.

Os pedidos de Paulo Taques, conforme a delegada, foram feitos à ex-secretária-adjunta de Inteligência da Secretaria Estadual de Segurança Pública, delegada Alessandra Saturnino. Para solicitar os pedidos, Saturnino justificou que o ex-chefe da Casa Civil alegou que o governador estaria sendo alvo de uma suposta trama criminosa, entre a ex-amante de Paulo, Tatiana Sangalli, e o ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro.

Os números das mulheres ligadas a Paulo Taques teriam sido inseridos por meio de “barriga de aluguel”, no qual os terminais delas foram incluídos em investigações com as quais elas não tinham relação. O governador Pedro Taques explicou que as interceptações solicitadas pelo ex-secretário foram comunicadas a ele e ocorreram de modo legal. “O então secretário Paulo Taques me comunicou que existia uma pessoa mantendo relações com João Arcanjo Ribeiro. Pedi ao então secretário Mauro Zaque e ao Fábio Galindo para que comparecessem ao meu gabinete e o Paulo relatou”, disse, em entrevista à rádio Capital FM.

O tucano detalhou que o ex-secretário de Estado de Segurança Pública orientou Paulo a procurar a delegada. “O Zaque pediu que ele [Paulo Taques] procurasse a delegada Alessandra [Saturnino] na Secretaria de Segurança. Ele a procurou e contou. Ele cumpriu o papel constitucional, comunicou o fato à Sesp, que é quem toca essa investigação”, justificou.

Ele ainda criticou o fato de que as declarações dadas por membros de sua equipe não serem levadas em consideração. “O que está me causando estranheza é que parece que tudo o que falamos não é verdade e o que os outros falam é verdade. Isso deve ser debatido com imparcialidade”.

Taques ainda contou que teve acesso aos autos onde constam acusações contra seus aliados e pontuou que há situações que ainda não foram esclarecidas. “Li todos os documentos da investigação, não com a cabeça de governador do Estado, mas como professor de Processo Penal. Não é por eu ser governador que passei a ser burro ou esqueci o que estudei durante toda a minha vida. Li e vi que há algumas coisas ali que precisam ser desvendadas”, relatou.

O ESQUEMA DE GRAMPOS

Segundo denúncia encaminhada pelo promotor de Justiça Mauro Zaque à Procuradoria Geral da República, as interceptações telefônicas feitas por membros da Polícia Militar e por outros integrantes do alto escalão do Executivo estadual eram ilegais. Diversas figuras do Estado foram interceptadas ilegalmente desde 2014. Teriam sido alvos da irregularidade políticos com mandatos, assessores, advogados, jornalistas, policiais, entre outros.

A denúncia aponta que os grampos eram concedidos por meio do esquema de “barriga de aluguel”, no qual o Núcleo de Inteligência da Polícia Militar solicitava interceptações de eventuais criminosos – no caso, uma quadrilha de tráfico de drogas e, posteriormente de assaltantes – e incluía os nomes de outros alvos, que não tinham relação com os crimes.

Na denúncia encaminhada por Zaque, é relatado que os grampos eram solicitados a um juiz de Cáceres pelo Ministério Público Estadual, com base em pedidos da Inteligência da PM. No entanto, outros magistrados do Estado também teriam concedido quebras de sigilo ilegais, sem perceber que entre eles havia terminais sem relação com o crime.

O esquema gerou repercussão nacional e foi alvo de reportagem do programa “Fantástico”, da Rede Globo. Em razão do esquema ilegal, já foram presos: o cabo Gerson Correa, o coronel Zaqueu Barbosa, o secretário-chefe da Casa Militar, Evandro Lesco, o adjunto da pasta, Ronelson Jorge Barros e o tenente-coronel  Januário Batista. O cabo Euclides Torezan também chegou a ser preso, porém foi beneficiado com habeas corpus. Ele teria colaborado com as investigações.


Fonte: folha max
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
18 de Julho, 2017 - 14:01
Prefeitos de Feliz Natal e Cláudia apresentam demandas ao governador

Os prefeitos das cidades de Feliz Natal, Rafael Pavel, e de Cláudia, Altamir Kürten, estiveram reunidos com o governador Pedro Taques, nesta segunda-feira (17.07), para debater as demandas dos dois municípios.

Rafael Pavel falou sobre os problemas que o assentamento Ena, localizado na zona rural de Feliz Natal, passa com a falta de água e solicitou poços artesianos para sanar a situação no local. Taques sinalizou como solução incluir os poços artesianos para a comunidade em projetos da Secretaria de Estado de Cidades.

Pavel também pediu a instalação de ar-condicionado para a escola Estadual Silvano Amaral, por meio de uma emenda legislativa de R$ 150 mil reais. O trabalho de reestruturação do sistema de refrigeração das escolas do Estado já é feito pelo secretário de Educação, Esporte e Lazer, Marco Marrafon, que, a pedido do governador, deverá priorizar o caso de Feliz Natal.

No quesito infraestrutura, o prefeito de Feliz Natal pediu a viabilização de recursos para pavimentação urbana e liberação de emenda legislativa no valor de R$ 500 mil reais, com a respectiva destinação, além da pavimentação de 6,5 km na MT-225.

Já o prefeito de Cláudia questionou a possibilidade da construção de uma ponte de 74 metros, sobre o Rio Azul, que liga as cidades de Cláudia e Marcelândia. O governador informou que levará a solicitação ao Secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Duarte.


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
18 de Julho, 2017 - 10:48
Governador torce para que coronel deixe a prisão e não descarta mantê-lo na Casa Militar

O governador Pedro Taques (PSDB) não descartou a possibilidade do coronel Evandro Lesco voltar a comandar a Casa Militar durante seu governo. Preso desde o dia 23 de junho no Batalhão de Operações Especiais (Bope), Lesco é um dos suspeitos de ter praticado grampos telefônicos ilegais por meio da chamada "barriga de aluguel" - quando números de pessoas comuns são listados como se pertencendo a alvos de investigações policiais.

"O coronel Lesco está afastado da chefia da Casa Militar. Tem um ato administrativo meu que o afastou e foi publicado no Diário Oficial. (Se ele sair da prisão) vamos analisar, e não vou jantar antes de almoçar. Espero que ele saia logo da prisão, aí vamos decidir. Mas eu espero que ele saia logo da prisão", disse o governador nesta terça-feira (18) durante entrevista à Rádio Capital FM.

Já em relação ao ex-secretário da Casa Civil Paulo Taques, que deixou o governo no dia 11 de maio, quando veio à tona o "Escândalo dos Grampos", o chefe do Executivo diz que o ex-chefe da Casa Civil cumpriu apenas o seu papel de cidadão.

"O então secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, me comunicou que existia uma pessoa que estaria mantendo relação com João Arcanjo Ribeiro, ponto. Eu pedi para que o Mauro Zaque e Fábio Galindo comparecessem no meu gabinete, aí o Paulo os relatou. E o doutor Mauro Zaque pediu para procurar a doutora Alessandra Saturnino, a delegada na Secretaria de Segurança. Aí ele contou caso para ela. Agora qual é a suspeita para o Paulo Taques?  Ele vai pedir para uma delegada para uma delegada fazer grampo? Quer dizer que se pedir para uma delegada assaltar um banco, para matar alguém, ela mataria? Ele cumpriu o papel constitucional dele, o papel de cidadão, comunicou o fato e fez a denúncia na Secretaria de Segurança. A secretaria de Segurança que toca a investigação. Agora porque não se fala desse fato? O que me causa estranheza é que parece que tudo que a gente fala não é verdade e tudo que os outros falam é verdade", afirmou o governador.

O governador também voltou a defender a ampla defesa de todos os investigados. "No Brasil estamos vivendo um momento em que um cidadão é investigado e ele já culpado, ele é processado e já é condenado. Nós precisamos obedecer a lei, o contraditório e a ampla defesa", reclamou Taques.

Atualmente o "Escândalo dos Grampos" está sendo investigando pela Procuradoria-Geral da República (PGR), pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), pelo Ministério Público Estadual (MPE) e pelas Corregedorias da Policia Militar e Civil de Mato Grosso.


Fonte: hiper noticias
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
18 de Julho, 2017 - 09:56
Botelho recebe PL que reajusta salário de servidores da Sema

Já está em andamento na Assembleia Legislativa o projeto de lei que reajusta o subsídio da carreira dos profissionais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). O projeto foi entregue pelo governador Pedro Taques (PSDB) ao presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (PSB), na última quinta-feira (13), na sede da Sema.

Botelho assegurou celeridade à aprovação dessa proposta na retomada dos trabalhos em plenário, no início do mês de agosto. O objetivo é corrigir a distorção salarial existente desses servidores.

O parlamentar também reforçou a necessidade de empenho desses profissionais na prestação de serviços de qualidade ao cidadão e destacou os avanços obtidos no acordo firmado para o pagamento da Revisão Geral Anual ( RGA) junto ao governo e Fórum Sindical.

“Vamos encerrar a questão da RGA e depois fazer pontualmente esses ajustes para corrigir as distorções salariais existentes. Essa [da Sema] é uma delas e o governador está cumprindo o que falou ao Fórum Sindical para fazer os devidos ajustes. Quero parabenizar por mais essa conquista, sobretudo a melhora que a Sema teve. Pois a reclamação no início desse governo era muito grande em relação ao travamento que havia dentro da Sema. E isso mudou, as coisas estão mais ágeis”, disse Botelho, ao parabenizar Carlos Fávaro por motivar a equipe e implementar um software dando maior agilidade nos serviços.

Para o presidente, a qualidade no atendimento tem que ser excelente. “É preciso atender bem quem paga nosso salário, que é o povo”, afirmou, ao destacar o compromisso com o Fórum Sindical de resgatar a imagem do serviço público.


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
18 de Julho, 2017 - 07:51
Emenda assegura prioridade de investimentos para Instituto Federal

Uma emenda apresentada pelo senador Wellington Fagundes (PR-MT) à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovada pelo Congresso Nacional,  determina que a União destine prioritariamente no Orçamento Geral  de 2018 recursos para o fortalecimento do ensino da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. A medida deverá beneficiar, sobretudo, o Instituto Federal de Educação, que atende atualmente cerca de 23,4 mil estudantes em Mato Grosso.

"Temos um compromisso firmado com as instituições federais de ensino por entender serem fundamentais, especialmente porque avança sobre todo o Estado, levando aquilo que é de mais importante no processo de formação da cidadania, que é uma educação com qualidade" – frisou o senador.

A proposta do senador Wellington Fagundes foi apresentada e aprovada, inicialmente, pela Comissão de Educação do Senado. Em seguida, encaminhada e acolhida pelo relator na Comissão Mista de Orçamento (CMO).

Este ano, Fagundes esteja na linha de frente para revogação da portaria 28/2017 do Ministério do Planejamento, que limitava despesas para custeio dos Institutos Federais de Educação (IFEs), será revogada pelo Governo Federal.  A limitação imposta pelo documento estava prejudicando o funcionamento dos IFEs. A questão havia sido debatida inicialmente em audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado.

Além dos IFs, a emenda beneficiará os Centros Federais de Educação Tecnológica, Universidade Tecnológica Federal e escolas técnicas vinculadas as unidades de ensino superior. Ao justificar a necessidade de prioridade de recursos, Fagundes observou que essas instituições têm em suas bases um conceito de educação profissional e tecnológica "sem similar em nenhum outro pais".

Ao todo, são 38 institutos, com 314 campi espalhados por todo o pais, além de várias unidades avançadas, atuando em cursos técnicos, e sua maioria na forma integrada com o ensino médio, licenciaturas e graduações tecnológicas. Wellington lembra que essas instituições podem ainda disponibilizar especializações, mestrados profissionais e doutorados voltados, principalmente, para a pesquisa aplicada de inovação tecnológica.

No caso de Mato Grosso, segundo o senador republicano, o IFMT é fundamental na formação acadêmica no Estado, sobretudo pelo papel que exerce de atingir os pontos mais distantes em função das dimensões consideradas continentais.  O instituto é composto por 19 unidades, distribuídas em 30 municípios no Estado. A oferta educação profissional e tecnológica estão distribuídos em 177 cursos, sendo 12 de pós-graduação, com especialização e mestrados, 119 Técnicos de nível médio e 46 superiores, entre bacharelados, licenciaturas e de tecnologias.

"Pela sua importância, vamos continuar trabalhando intensamente para fortalecer os IFs, não apenas em Mato Grosso como em todo o Brasil, dado seu compromisso de formação que podem ir do curso técnico ao doutorado. O Brasil precisa disso" – disse o senador.


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
 menos   2   3   4   5   6   7   8   mais 
ENQUETES
VARIEDADES
OPINIÕES
NOTÍCIAS
Copyright © 2010 - Nortão Notícias
Quem Somos  |  Denuncie  |  Contato

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player