Anuncie Aqui    |    Denuncie    |    Contato    
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
Bem Vindo ao Nortão Notícias, 28 de Junho de 2017
Pesquisar no site
Política
     
17 de Junho, 2017 - 08:21
Fabio afirma que deputados estaduais do PSB vão manter apoio a Taques

O deputado federal Fabio Garcia descarta qualquer possibilidade da bancada do PSB na Assembleia deixar a base de sustentação do governador Pedro Taques (PDSB). Segundo o ex-presidente, que foi destituído do comando da sigla, mesmo que os parlamentares permaneçam no PSB, que passou a ser comandado no Estado pelo oposicionista deputado federal Valtenir Pereira, dificilmente deixarão de votar com o governo.

"Esses quatro deputados estaduais (Oscar Bezerra; Professor Adriano; Eduardo Botelho e Mauro Savi) foram eleitos e pediram voto apoiando Taques, disse Fabio Garcia em entrevista à Rádio Capital nesta sexta (16).

O parlamentar entende que os mandatos pertencem ao PSB, que pode virar oposição e querer votar contra as matérias do governo. No entanto, pontua que a lei não obriga um deputado a ser oposição ou base de nenhum governo. "Na lei, a única coisa que diz é que quando algum parlamentar se elege por um partido, ele não pode mudar de partido ao longo daquela legislatura, sob pena de ocorrer infidelidade partidária, a menos que tenha um motivo para que ele faça essa mudança, como exemplo, uma perseguição ou um ato do partido contra o deputado, para que aquele deputado possa mudar de legenda sem a penalização. Então a lei não vai obrigar, de forma nenhuma ,a ser base ou oposição", complementa.

Fabio reforça que faltou coerência por parte da Executiva Nacional do PSB. Ele pondera que Valtenir, ao longo de sua caminhada, tem se posicionado contra tudo que o PSB prega.

A nomeação de Valtenir pode provocar debandada no PSB, tendo em vista que o parlamentar é tido como "inimigo" do ex-prefeito Mauro Mendes e, ainda, que a ordem vinda de cima para baixo por parte do presidente nacional Carlos Siqueira é motivo de revolta.

“Por exemplo, a reforma trabalhista. O Valtenir votou a favor, assim como eu. O PSB defendeu o impeachment da Dilma Rousseff (PT), o Valtenir votou contra, defendeu o PT. O PSB era de um posicionamento independente do governo do PT – não apoiava o PT. O Valtenir apoiou.

Nesta linha, Fabio lembra que Valtenir logo após o impeachment foi o primeiro a se posicionar ao lado de Michel Temer. Conta, ainda, que Valtenir é um dos parlamentares que mais tem cargos no governo federal. “O PSB hoje se posiciona contrário ao governo Temer, inclusive, apoiando a renúncia ou o afastamento do presidente. Então, fica difícil de ver coerência nessa decisão do PSB”, disse.

Para Fabio, a decisão da sigla de nomear Valtenir não foi ideológica e tão pouco vontade de fazer o partido crescer. Ele lembra que quando assumiu o comando, a sigla tinha apenas um prefeito e uma deputada estadual, respectivamente, Mauro Mendes e Luciane Bezerra.

“Desde que assumimos o PSB, que antes era comandado pelo Valtenir, foi um trabalho incontestável em termos de crescimento de partido. Nós construímos nesse tempo um partido que tem hoje 17 prefeitos, 142 vereadores, quatro deputados estaduais e a maior bancada federal de MT”, destaca.

Fabio reforça que o pensamento do novo presidente confronta os idéias da legenda. Reforça que há algo por trás da nomeação. “Obviamente que no futuro, na luz do sol, a transparência e o tempo, vão fazer a gente entender melhor o que está por trás de tudo isso”, comentou.

Debandada

O deputado ainda destaca que existem inúmeros partidos nesse momento sondando alguns dos filiados, entre os quais, ele próprio. Partidos como PP e DEM. “É prematuro direcionar para partido A ou B. Óbvio que a gente tem muito bom relacionamento com lideranças, como o ministro da Agricultura Blairo Maggi e Jayme Campos. Obviamente, facilita e nos abre portas, mas é muito cedo”, finaliza.


Fonte: RDNews
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
16 de Junho, 2017 - 19:38
Maggi rechaça ter mandado emissário para falar com Silval

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi (PP), rechaça que tenha enviado emissário ao Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) para conversar com o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) enquanto ele esteve preso preventivamente por um ano e nove meses.

De acordo com nota encaminhada ao GD pela assessoria jurídica de Maggi, o ministro nunca teria procurado o ex-governador pelo simples fato de não existir motivo para isso. Para ele, a divulgação de informações inverídicas têm o claro propósito de prejudicar o bom andamento processual.

A nota rebate as declarações feitas pelo advogado criminalista Marcos Dantas, que faz a defesa do ex-secretário de Estado de Fazenda, Marcel De Cursi, que continua cumprindo prisão preventiva no CCC.

Ao comentar uma das alegações da defesa de Silval Barbosa para conseguir substituir a prisão preventiva para domiciliar, Dantas disse que as pressões sofridas pelo ex-governador partiram de pessoas que foram visitar Silval no Centro de Custódia e não de quem estava preso.

Entre os visitantes do local o criminalista citou o senador Wellington Fagundes (PV), que confirma as visitas e diz que a ação foi solidaria ao companheiro da política, e um emissário de Maggi, que teria sido escorraçado do local por Silval.  Maggi não havia se manifestado ainda sobre o assunto.

Confira a nota na integra

Nota de esclarecimento

Sobre as declarações feitas pelo advogado Marcos Dantas, responsável pela defesa do ex-secretário estadual de Fazenda, Marcel de Cursi, de que o ministro Blairo Maggi teria enviado emissário ao Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), vimos a público rechaçar esta afirmação.

Em nenhum momento Blairo Maggi teria procurado o ex-governador Silval Barbosa e, muito menos, enviado emissário, por não existir motivos para isso. Entendemos, por fim, que essas informações inverídicas têm o claro propósito de prejudicar o bom andamento processual.

Assessoria jurídica do ministro Blairo Maggi.


Fonte: Gazeta Digital
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
16 de Junho, 2017 - 15:20
PSB voltou para 'passado que não deixou saudade pra ninguém', diz Bezerra

A prefeita de Juara (696 Km ao Norte de Cuiabá) Luciane Bezerra (PSB) entrou para a fila dos que receberam com surpresa o retorno do deputado federal Valtenir Pereira ao partido e já na posição de presidente estadual da legenda. Para ela, isso representa uma volta a “um passado que não deixou saudade pra ninguém, isso é muito preocupante”, declarou em entrevista à Rádio Capital FM, na manhã desta sexta-feira (16).

Luciane lembrou dos embates políticos que teve com Valtenir enquanto exerceu o cargo de deputada estadual por discordar da forma como ele fazia política. “Eu, quando fui deputada, muitos se lembram dos embates que eu tive com o deputado Valtenir. Nada pessoal, mas sim pela conduta, como faz política, eu acho que não soma, que não cresce, que não tem respeito”, disse.

Segundo ela, a saída de Valtenir do PSB, em 2013, fez com que o partido mudasse sua postura e crescesse dentro do estado. “Não só eu, mas todos os colegas, tanto os prefeitos, os vereadores e os deputados recebemos isso como uma surpresa negativa para o partido porque o PSB é um dos partidos que mais cresceram, mas porque mudou a sua conduta de se fazer política, respeitando as autoridades, respeitando os deputados, as representações de regiões”, pontuou.

Diante da insatisfação geral, a prefeita afirma que reuniões irão ocorrer ao longo deste final de semana para que as lideranças definam que postura tomar perante o novo presidente estadual do partido. “A princípio, ninguém quer deixar o PSB. Todos nós vamos lutar pelo PSB, mas, se não for possível, eu acho que vai ser tomada um decisão conjunta entre todos”, afirmou.

Apesar disso, Luciane acredita que é preciso ouvir o regresso Valtenir para dialogar. “Vamos ver o que é a ideia dele. Quem sabe mudou, né? A gente está fazendo um pré-julgamento e quem sabe ele veio pra somar, pra ajudar a crescer, vamos ter essa esperança, né?”, ponderou. 

Fonte: Gazeta Digital
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
16 de Junho, 2017 - 10:00
Bezerra confirma articulação para Valtenir levar PSB à oposição em MT

O deputado federal e presidente estadual do PMDB em Mato Grosso, Carlos Bezerra, confirma participação nas articulações que levaram o deputado federal Valtenir Pereira trocar o PMDB pelo PSB. O cacique mato-grossense revela que a missão do ex-correligionário é levar o PSB em Mato Grosso para o grupo oposicionista ao governo Pedro Taques (PSDB).

"Nós articulamos juntos para que ele saísse sem nenhum problema de fidelidade partidária. Construímos um acordo pacifíco. Agora o Valtenir deverá trazer o PSB para a oposição ao governo do Taques", disse Bezerra.

Sobre a resistência das bancadas estadual e federal da legenda em ter Valtenir como presidente, o peemedebista acredita que os descontentes deverão deixar o partido. "O Valtenir Pereira chega com o respaldo nacional. Do presidente do partido e da direção. Então quem não aceitar deve procurar outro partido para militar e atuar", declarou Bezerra, acreditando que o PP deverá ser o destino dos parlamentares Mato-grossenses do PSB.

"Eles devem ir para o PP do Blairo. O Mauro Mendes, o Fábio Garcia e o Sachetti são muitos próximos do Blairo", complementa o peemedebista.

Choque com a filiação

Valtenir Pereira retornou ao PSB na última quarta-feira (14). Com a filiação, o parlamentar assumiu também a presidência do Partido Socialista em Mato Grosso.

A decisão caiu como bomba dentro do PSB mato-grossense. O deputado federal Fábio Garcia, que havia sido afastado da presidência por ter votado favoravelmente ao texto base da reforma trabalhista, classificou a decisão da cúpula nacional como "falta de coerência".

Já o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB) disse que a decisão foi "vergonhosa".

O presidente da Assembleia Legislativa (ALMT) deputado Eduardo Botelho (PSB), não descarta uma debandada da sigla por conta da volta de Valtenir. Porém, disse que tudo será debatido durante reunião neste fim de semana. Botelho também defende uma conversa com Valtenir.

PP

O presidente estadual do PP, deputado federal Ezequiel Fonseca, disse que a legenda está de portas abertas para os descontentes do PSB. No entanto, disse que ainda não conversou com ninguém sobre o assunto. "O PP sempre está de portas abertas, ainda mais para lideranças importantes do nosso Estado que querem contribuir com Mato Grosso. Então se eles virem, terão o nosso respaldo. Mas ainda não existe nenhuma conversa sobre o assunto. Vamos deixá-los decidirem o que vão fazer e, se saírem mesmo, podemos conversar", disse.

Apesar do PP, o presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ), também vem articulando nacionalmente com a ala governista do PSB, contrários ao desembarque do governo Temer, a migração para o seu partido. Dentro dessa articulação estão os mato-grossenses Fábio Garcia e Adilton Sachetti.


Fonte: hiper noticias
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
16 de Junho, 2017 - 09:21
Projeto de Lei cobra carteira de vacinação no ato da matrícula escolar

“A população começa achar que não precisa mais vacinar o filho e não completa o quadro de imunização. Leva o filho para tomar a primeira dose e vai se descuidando das outras”, diz trecho de uma entrevista ao Jornal A Folha de São Paulo com a coordenadora do Programa de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, que em outro trecho da matéria relata que a adesão às vacinas, algumas delas obrigatórias para crianças e disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS), caiu no Brasil.

O relato da especialista chamou a atenção do deputado estadual Silvano Amaral (PMDB) que apresentou o projeto de lei Nº 253/2017, obrigando a apresentação da carteira de vacinação no ato da matrícula nas escolas públicas e privadas que oferecem ensino infantil, fundamental e médio em Mato Grosso. A medida foi apresentada e lida em plenário, na sessão vespertina desta terça-feira (13), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

O projeto estabelece que, caso o matriculado não possua a carteira de vacinação, seu responsável terá o prazo de 30 dias para providenciá-lo junto ao órgão responsável. Essa determinação, segundo Silvano, é uma maneira de garantir a efetivação da vacina e seu controle. “A melhor forma de garantir que a vacina esteja em dia é associá-la à matrícula escolar, tendo em vista o amplo alcance que possibilita essa verificação”, argumentou o autor do projeto de lei.

Com intuito de garantir a vacinação de crianças e adolescente, a medida ainda assegura que, caso a carteira de vacinação não seja apresentada ou haja a constatação da falta de alguma das vacinas, a situação deverá ser regularizada sob pena de comunicação ao Conselho Tutelar para as devidas providencias.

Na justificativa do projeto, Silvano esclarece que falta da carteira ou a desatualização dela não geram impossibilidade da matrícula, mas a recomendação para sua regularização, com nova conferência no início do ano letivo.

“Queremos, através desta medida, criar uma maior colaboração entre os setores da saúde e da educação. As escolas têm o dever de orientar pais e responsáveis sobre a importância de estar em dia com o calendário de vacinação. Às vezes, a família pode não entender em que momento se deve dar essa vacina. É o papel proativo da educação”, observou o deputado


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
16 de Junho, 2017 - 08:53
Criticado em parecer do TCE por convocar “excesso de concursados”,Taques diz que faria tudo de novo

Num momento de recrudescimento da discussão da Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores e do cumprimento do limpe de gastos com pessoal imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), volta à baila o embate do governador José Pedro Taques (PSDB) com o Tribunal de Contas do Estado (TCE). No julgamento das contas de 2016 do governo de Mato Grosso, inicialmente previsto para ocorrer nesta quarta-feira (13) e adiado na última hora, o relatório do TCE aponta para despesa excessiva com pessoal, provocada pelo excesso de convocação de servidores concursados, principalmente para a Secretaria de Estado de Segurança (SESP)

“Fui criticado no julgamento das contas de Mato Grosso, porque tinha chamado muitos policiais. Não me arrependo nem um centímetro disso. Se pudermos, nós vamos ainda este ano, para dar posse ano que vem, fazer mais concursos”, observou ele. “Mais 100 delegados Polícia Judiciária Civil, mais 1.800 homens para a Polícia Militar, mais 1.200 escrivães e investigadores para a Polícia Civil e, ainda, mais 180 homens para o Corpo de Bombeiros. A Lei de Responsabilidade Fiscal permite isso. E nós faremos, sim, se tivermos condições”, sintetizou Taques, durante evento da SESP.

Pedro Taques confirmou que os 3.663 convocados para as forças de segurança representam R$ 180 milhões a mais, por ano, somente em folha de pagamento. Ele recordou que, hoje, a SESP possui 15 mil servidores, incluindo PM, BM, Politec, PJC e Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT)

“Eu vi uma crítica do TCE. Nós temos que aceitar as críticas. Na democracia, as críticas são absolutamente democráticas! Agora eu queria ver como Mato Grosso estaria com 3.663 profissionais da segurança a menos em seus quadros”, questionou Taques, numa pergunta direcionada ao TCE e à oposição.

“Eu ouso dizer que nós estaríamos no caos. Porque nós temos 14 milhões de desempregados, no Brasil. A crise está alastrada. Outros estados que não fizeram investimentos, na segurança, estão sofrendo o que Mato Grosso, neste momento, não está sofrendo tanto”, afiançou o chefe do Poder Executivo.

Pedro Taques recordou que assumiu com 680 viaturas alugadas para todas as forças de segurança e 400 do Estado, das quais 200 baixadas (na oficina), em janeiro de 2015.  E que hoje são 1.078 viaturas alugadas, devendo chegar a 1.226 viaturas dentro de 120 dias, a um custo de R$ 65 milhões por ano somente com aluguel – foram combustível e manutenção.

“Não é gasto. É investimento! São investimentos que dão retorno. O efetivo da SESP é composto por 15 mil profissionais que protegem a sociedade”, complementou Pedro Taques.

O julgamento do parecer técnico das contas do governo Taques, previsto para a sessão matutina desta quarta-feira, no Pleno do TCE, foi adiado.


Fonte: Olhar Jurico
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
15 de Junho, 2017 - 19:22
“Fico feliz pela soltura e espero que nunca mais volte para lá”

O deputado estadual Romoaldo Junior (PMDB) disse ter ficado “feliz” pela soltura do ex-governador Silval Barbosa (PMDB). Para ele, o peemedebista fez uma boa gestão, mas está pagando por se sujeitar a um “modelo político falido”.

Após um ano e nove meses, o peemedebista deixou o Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), na noite de terça-feira (13), por decisão da juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital.

“Recebi a notícia com alegria. Bom saber que um amigo volta para casa depois de dois anos sem encontrar a esposa, filhos, conhecer o netinho que nasceu enquanto ele estava preso. Acho que Silval teve muitos pontos positivos no Governo, mas teve as falhas, e por elas está pagando agora”, disse.

“Fico feliz pela soltura dele e espero que nunca mais volte para lá. Por enquanto, a festa é da família. Mas vou procurá-lo, dar um abraço. Faço questão de passar e dar um abraço nele”, afirmou

Ex-líder de Silval, Romoaldo disse que o peemedebista herdou contas não só de sua campanha, em 2010, como de “outros candidatos”.

“Ele fez um governo que a gente percorre por aí e vê o reconhecimento das pessoas. E a sociedade não aceita mais o modelo político que era antes. Ele herdou contas da campanha dele, contas da campanha de outros candidatos, fez esses pagamentos, de forma que a justiça não aceita, a sociedade não aceita. Hoje, o Brasil está desmoronando, porque estão desnudando o que era a política, desnudando esse modelo falido”, afirmou.

“Mas fico feliz com a soltura dele. Fico feliz que possa voltar para sua casa. Conheço o ser humano Silval. Sou amigo do Silval há 25 anos e sei o ser humano que ele é. Acho que esses dois anos de cadeia devem ter sido muito difíceis para ele, sem a sua liberdade”, disse.

Liderança e influência em 2018

O deputado disse acreditar que o ex-governador, caso queira, tem condições de ser influente nas eleições de 2018. Entretanto, afirmou não acreditar que esse seja seu desejo.

“Eu não acredito que uma pessoa que passa por tudo isso tem ânimo para voltar à política. Acho que o Silval vai seguir uma nova fase na vida dele. Não acredito que ele tenha intenção política ou vontade para voltar. É muito difícil”, afirmou.

“Mas ele tem sua parcela de voz, sim. Tem um desgaste grande, mas tem, em muitos lugares de Mato Grosso, o reconhecimento de pessoas que foram beneficiadas em seu governo ou como deputado estadual. Ele teve uma carreira política bonita no Estado”, completou.

A soltura

Preso desde setembro de 2015, Silval conseguiu converter sua prisão preventiva em prisão domiciliar na última terça-feira (14), após confessar seus crimes.

No pedido de revogação de prisão, a defesa do ex-governador argumentou que Silval "resolveu assumir publicamente postura defensiva no sentido de colaborar com as investigações e com o deslinde das ações penais".

A defesa também citou que o político estaria se sentindo ameaçado dentro do Centro de Custódia, em razão das informações publicadas na imprensa dando conta de que ele estaria firmando delação premiada. Ele estaria, inclusive, sendo pressionado por pessoas que possam vir a ser delatadas por ele.

As ameaças estariam sendo feitas também contra familiares do ex-governador.

Consta na decisão que o Ministério Público Estadual (MPE) emitiu parecer favorável à soltura dos acusados. Além de Silval, seu ex-assessor Sílvio Araújo também foi solto após fazer confissão.

Ela citou também que o fato de ambos estarem sofrendo ameaças dentro do CCC é “preocupante”, já que poderia atrapalhar a descoberta de fatos ainda não revelados.

Na decisão, a juíza concedeu prisão domiciliar aos acusados, que serão monitorados por tornozeleiras eletrônicas.

Segundo ela, a medida é necessária para que os acusados não se ausentem de suas residências "por qualquer motivo".


Fonte: Midia News
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
15 de Junho, 2017 - 08:27
Rosana Martinelli pede apoio do Governo do Estado para adequações no Aeroporto de Sinop

A prefeita de Sinop, Rosana Martinelli (PR), participou da abertura da 33ª Exposição de Sinop (Exponop), nessa quarta-feira (14). Na ocasião, a gestora, reforçou o pedido de apoio ao governador Pedro Taques (PSDB) para investimentos no Aeroporto Municipal Presidente João Batista de Figueiredo.

Rosana Martinelli lembrou que o município tem somado forças junto com as entidades representativas de Sinop, por meio da comissão pró-aeroporto, e que os recursos do Governo do Estado para atualização de projetos e construção da cerca do aeroporto são fundamentais.

"Realmente é anseio de toda a população do Município de Sinop. Precisamos da ajuda dos governos Estadual e Federal. Hoje a principal reivindicação do município de Sinop, entre tantas, é o Aeroporto, porque significa o desenvolvimento regional e local", discursou a prefeita, durante o jantar de abertura da exposição.

O governador Pedro Taques, que esteve em Sinop, para a abertura da Exponop agradeceu a prefeita pela recepção e colocou o Governo do Estado à disposição da administração municipal. "Muito obrigada por me receber em Sinop. Não interessa o lado político, a senhora tem o meu apoio e o Palácio Paiaguás está à disposição para ajudar no desenvolvimento desse município, que contribui para o estado de Mato Grosso".

A prefeita de Sinop acompanhou a comitiva do Governo do Estado e deputados federais e estaduais durante um passeio por todo o parque de exposições da Acrinorte (Associação dos Criadores do Norte de Mato Grosso) e o tradicional jantar de abertura do evento.

Para Rosana, a cada ano a feira tem consagrado ainda mais Sinop como polo regional. "A exposição é fundamental para o município de Sinop é um vetor de crescimento e fomentador da economia do município, em vários segmentos. Além de tudo o turismo de negócios, porque somos polo de 32 municípios e recebemos muita gente".

A abertura da Exponop foi realizada nessa quarta e o evento segue até o próximo domingo (18). A expectativa da organização é de que a feira movimento aproximadamente R$ 40 milhões e mais de 200 mil pessoas passem pelo parque de exposições nos próximos dias. Além do governador, participaram do evento de abertura o deputado federal Nilson Leitão (PSDB), os deputados estaduais Baiano Filho e Dilmar Dal Bosco, ambos PSDB, vereadores de Sinop, bem como prefeitos e vereadores de vários municípios da região.


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
15 de Junho, 2017 - 08:02
Ex-prefeito detona PSB nacional e vê filiação de deputado como "vergonhosa"

Surpreso com a decisão do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, em convidar o deputado federal Valtenir Pereira a retornar ao partido, o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, classificou o fato como “lamentável e vergonhoso”. Mauro e Valtenir são “desafetos” e o desentendimento entre eles foi o motivo da saída do deputado da legenda em 2013.

Mauro lembrou que, em 2013, Valtenir levou consigo todos os prefeitos do partido em Mato Grosso, deixando apenas ele, que administrava a capital do Estado. “Deixou inúmeros problemas e um PSB arrasado. Durante a sua estada na Executiva Estadual, procurou construir um partido para si e não para cumprir sua função política, social e sem nenhuma aderência aos conceitos que aprendemos com nosso líder Eduardo Campos e com todos os que fizeram a sua bela história”, diz trecho de nota encaminhada pelo ex-prefeito.

O ex-prefeito, que é membro da executiva nacional do PSB, lembrou que foi responsável por reconstruir o partido e obteve bons resultados nas eleições de 2014 e 2016. Hoje, o PSB tem quatro deputados estaduais, dois federais, 17 prefeitos e mais de 100 vereadores. “Nunca em sua história o PSB teve tamanha representatividade em nosso Estado”, assegura Mauro Mendes.

Mauro Mendes ainda criticou a forma como o presidente da legenda destituiu o deputado federal Fábio Garcia da presidência do partido em Mato Grosso, bem como toda a direção da legenda. O motivo alegado à época foi o fato do deputado federal descumprir uma orientação partidária e votar a favor da reforma trabalhista.

O ex-prefeito disse que, baseado nas alegações iniciais, a filiação de Valtenir se mostra incoerente. “Valtenir também votou a favor da aprovação desta matéria no Câmara! Já ouvi dentro do PSB nacional adjetivos negativos muito fortes sobre o caráter e o  comportamento deste deputado”, detonou.

O ex-prefeito não comenta na nota sobre uma eventual desfiliação do partido. Mais cedo, o deputado Fábio Garcia enviou mensagem aos filiados do PSB, também criticando a decisão de Carlos Siqueira em filiar Valtenir Pereira.

Ele disse que os deputados e as principais lideranças da legenda vão se reunir neste fim de semana para discutir os rumos a serem adotados. “Na próxima semana, faremos uma reunião ampliada com todos para discutirmos sobre esta questão”, assinalou.

Íntegra da nota de Mauro Mendes:

LAMENTÁVEL e VERGONHOSO!

São exatamente estas as poucas palavras que me vieram para definir o sentimento que tive, quando fui informado da decisão do presidente Carlos Siqueira de filiar o deputado Valtenir Pereira novamente ao PSB e depois entregar a ele a Presidência do Diretório Estadual em Mato Grosso.

Valtenir abandonou o partido em 2013, sem dar satisfação a ninguém, levando a época todos os prefeitos, exceto eu, que era o prefeito de Cuiabá. Deixou inúmeros problemas e um PSB arrasado. Durante a sua estada na Executiva Estadual, procurou construir um partido para si e não para cumprir sua função política, social e sem nenhuma aderência aos conceitos que aprendemos com nosso líder Eduardo Campos e com todos os que fizeram a sua bela história.

Depois de muito trabalho, reconstruímos o PSB-MT e elegemos em 2014 dois deputados federais, quatro deputados estaduais, e em 2016, 17 prefeitos e centenas de vereadores. Nunca em sua história o PSB teve tamanha representatividade em nosso Estado.

Recentemente fomos surpreendidos com a decisão de Carlos Siqueira de substituir o deputado federal Fabio Garcia da presidência estadual do PSB-MT, sob alegação de que ele teria votado contra uma decisão da Executiva Nacional na Reforma Trabalhista. Porém, de forma equivocada e arbitrária, ele destitui a todos os membros e inclusive a mim, que ajudei a reconstruir o partido no Estado. Faltou respeito, gratidão e seriedade nesta decisão. Se ele fez conosco, um dia poderá fazer com qualquer filiado, em qualquer Estado.

Se o motivo de tirar o deputado Fabio da presidência do PSB-MT foi ele ter votado a favor da Reforma Trabalhista, contrariando a executiva, porque chamar o deputado Valtenir, que traiu e abandonou o PSB, para novamente filiar e entregar a ele o diretório estadual.

Valtenir também votou a favor da aprovação desta matéria no Câmara! Já ouvi dentro do PSB nacional adjetivos negativos muito fortes sobre o caráter e o  comportamento deste deputado. O que Mudou? Onde está a vergonha na cara e o respeito com quem faz um trabalho sério?

UMA INCOERRÊNCIA OU UMA MENTIRA? QUAL SERÁ A VERDADEIRA INTENÇÃO?

A LUTA CONTINUA!

Mauro Mendes

Membro da Executiva Nacional

Filiado ao PSB-MT.


Fonte: folha max
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
14 de Junho, 2017 - 16:55
BNDES anuncia 'agenda múltipla' de desenvolvimento para Mato Grosso

"Um banco como o BNDES não pode ficar demorando a dar respostas aquilo que ajuda a desenvolver. E não tem nada que mais ajuda a desenvolver Mato Grosso do que a viabilização do transporte moderno, seja rodoviário ou ferroviário". A afirmação foi feita pelo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Paulo Rabello de Castro, ao se reunir nesta quarta-feira, 14, com os senadores Wellington Fagundes (PR), José Medeiros (PSD) e com o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP) representando a bancada federal.

O novo presidente do BNDES anunciou  que será desenvolvida uma “agenda múltipla“ de desenvolvimento para o Estado, com a disposição do banco de retomar os financiamentos de uma série de grandes projetos na área de infraestrutura, como rodovias, ferrovias e hidrovias. Essa agenda, segundo ficou acertado na reunião, deverá ser lançada oficialmente no dia 1º de outubro, em Rondonópolis, região Sudeste do Estado. Nesse mesmo dia está previsto o lançamento do Censo Agropecuário.

A pedido dos parlamentares, em nome da bancada federal, Rabello de Castro adiantou que o BNDES vai trabalhar para disponibilizar os financiamentos a longo prazo para a continuidade das obras de duplicação dos 800 quilômetros da  BR-163, ligando a divisa de Mato Grosso do Sul a Sinop, no Norte do Estado. Os representantes da bancada fizeram questão de destacar a importância da conclusão da obra e lembraram das dificuldades que a empresa concessionária, a Rota do Oeste, vem enfrentando para conseguir a liberação do chamado financiamento a longo prazo.

O banco também pretende se envolver na modernização da ferrovia que liga Mato Grosso ao Porto de Santos, que enfrenta dificuldades para promover o escoamento da produção em função dos gargalos na passagem dos trilhos no Estado de São Paulo. Nesse mesmo modal, o presidente do BNDES anunciou que deve apresentar no lançamento da “agenda múltipla“ proposta para extensão dos trilhos de Rondonópolis a Cuiabá e daí até encontrar com os trilhos da Ferrogrão - que já integra os estudos do banco - para formar um amplo canal de escoamento da produção, com saída para os Portos do Arco Norte e ao Sudeste.

Dentro da “agenda múltipla“ de desenvolvimento para Mato Grosso, o BNDES também deve anunciar em 1º de outubro uma forte atuação na área aeroportuária. Segundo Paulo Rabello, o desenvolvimento desse segmento logístico é fundamental para Mato Grosso em função das longas distâncias que precisam ser percorridas com rapidez.

"Mato Grosso tem capacidade para ser, além de potência agrícola e ambiental, também uma  potência comercial e de serviços" – disse o presidente do BNDES, que anunciou ainda a implantação em Cuiabá de uma representação do banco para se colocar mais perto das demandas.

Entusiasmados, os senadores Wellington Fagundes e José Medeiros emitiram declaração conjunta em que manifestaram satisfação com os resultados da reunião e também pelo desejo expressado pelo novo presidente do BNDES em destravar os investimentos reivindicados pelo Estado. Além da competitividade, a “agenda múltipla“ de desenvolvimento do BNDES deverá ajudar na geração de emprego e de oportunidades.

Reconhecido defensor do desenvolvimento da logística, Wellington destacou que Mato Grosso é o Estado que mais desenvolve no Brasil. "É um Estado que  tem muito ainda a produzir para o bem do país, tanto nas commodities agrícola como na produção mineral. E o grande gargalo é justamente a infraestrutura" – disse Wellington Fagundes, ao defender a multimodalidade como medida fundamental para o Estado.

O deputado Ezequiel Fonseca, por sua vez, fez questão de destacar, como exemplo, a viabilização da Hidrovia Paraguai-Paraná como nova saída de escoamento da produção do Oeste do Estado, a partir da implantação da ligação entre a cidade de Cáceres e o Porto de Morrinhos.

Um dos críticos do banco pela demora que havia na liberação de financiamentos, o senador José Medeiros disse que agora o que se presencia é uma guinada de 180 graus do BNDES: "É o BNDES na essência, preocupado com o desenvolvimento e quando se fala em desenvolvimento tem tudo a ver com Mato Grosso" – acrescentou o senador do PSD, ao lembrar que o Estado tem uma produtividade maior que os Estados Unidos, mas acaba perdendo em competitividade pelo fato dos americanos terem modais mais estruturados. "O BNDES se mostra interessado no desenvolvimento do interior do Brasil" – salientou.


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
 menos   3   4   5   6   7   8   9   mais 
ENQUETES
VARIEDADES
OPINIÕES
NOTÍCIAS
Copyright © 2010 - Nortão Notícias
Quem Somos  |  Denuncie  |  Contato

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player