Anuncie Aqui    |    Denuncie    |    Contato    
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
Bem Vindo ao Nortão Notícias, 18 de Janeiro de 2017
Pesquisar no site
Política
     
6 de Janeiro, 2017 - 10:32
Wilson promete ser parceiro de Emanuel

Candidato derrotado na disputa a prefeito de Cuiabá nas eleições de outubro, após superar as altas taxas de rejeição e fechar o segundo turno eleitoral com 103.483 votos, o ex-secretário de Estado de Cidades, Wilson Santos (PSDB) promete atuar como parceiro estratégico do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) em obras de infraestrutura.

“O prefeito Emanuel Pinheiro vai ter as portas escancaradas da Secretaria de Cidades para defender Cuiabá. Estou disposto a somar. Tudo o que tenho na vida devo a Cuiabá e vou ser um parceiro para auxiliar naquilo que for necessário”, disse.

De acordo com Wilson Santos, o governador Pedro Taques (PSDB) considera as eleições municipais superadas e deu ordens a equipe administrativa para auxiliar os municípios sem analisar qualquer questão partidária, pois o foco é manter serviços essenciais a toda população mato-grossense.

“São 400 obras de médio e grande porte na Secretaria de Cidades e o pedido é para avançar ao máximo em todas elas. Temos a obrigação de honrar com emendas parlamentares e avançar nas obras do VLT cuja retomada está programada para o primeiro semestre deste ano”.

A respeito do decreto assinado por Emanuel Pinheiro que determina ao Estado requerer autorização da Prefeitura de Cuiabá para executar obras no município, Wilson Santos, ex-prefeito por dois mandatos, disse que não vê nada de anormal.

"Eu entendo perfeitamente o que se passa na cabeça do Emanuel Pinheiro. Não vi nada de ilegal ou anormal. Foi uma decisão para preservar o patrimônio público municipal que é uma prerrogativa do prefeito", disse.

Uma das prioridades elencadas pela Secretaria de Cidades na relação com a Prefeitura de Cuiabá são as obras do Rodoanel.

Em 2013, parte do trecho em Várzea Grande chegou a ser licitado pelo Estado. No entanto, devido a irregularidades, o Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) determinou o bloqueio dos recursos depositados na conta do convênio e o posterior cancelamento da licitação.

Em 2015, o Tribunal de Contas da União (TCU) identificou irregularidades processuais e sobrepreço, vindo a determinar, a suspensão da licitação.

Atualmente, o Rodoanel está dentro do pacote de 66 obras rodoviárias do Pró-Estradas Vale do Rio Cuiabá. Trata-se de uma das prioridades do Governo do Estado.

A obra prevê a implantação e melhoria dos 10,92 quilômetros localizados entre o entroncamento com a rodovia BR-163/070/364 e o entroncamento com a Avenida Antártica (na região do Sucuri, em Cuiabá). 


Fonte: Gazeta Digital
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
6 de Janeiro, 2017 - 09:51
Botelho pede a deputados apoio à Agricultura Familiar

O 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), presidiu a solenidade de posse dos deputados Allan Kardec (PT) e Adalto de Freitas (SD), o Daltinho, nas vagas, respectivamente, de Altir Peruzzo (PT) e José Carlos do Pátio (SD), eleitos para as prefeituras de Juína e Rondonópolis. Representante da Baixada Cuiabana, Botelho pediu aos deputados recém-empossados apoio na luta pela Agricultura Familiar no estado de Mato Grosso.

“Estou contente porque teremos mais um representante Baixada Cuiabana, com o Allan Kardec. Temos uma missão neste Parlamento e, especialmente, quero que me ajudem nessa luta de trabalhar pela agricultura familiar. O estado por muito tempo defendeu os grandes e muito pouco fez pelos pequenos”, declarou Botelho.

O deputado destacou a aprovação em redação final do Projeto de Lei nº 469/16 que fez modificações na Lei 7.263, do Fundo de Transporte e Habitação (Fethab). Com a alteração, de 7% até 10% dos recursos desse fundo serão destinados para financiamento de ações da agricultura familiar.

“Tivemos um avanço muito grande nessa luta e tivemos o apoio de todos os deputados na aprovação deste novo Fethab que destinará um percentual para a agricultura familiar. E o governo concordou com essa proposta”, lembrou o vice-presidente.

Na oportunidade, Botelho ratificou que todos os deputados têm liberdade e condição de trabalho igualitário, quer seja situação ou oposição e que os projetos do governo são amplamente discutidos.

Em discurso, Allan Kardec afirmou que vai trabalhar pelo turismo ecológico ambiental, principalmente para atender os municípios da Baixada Cuiabana. Também fará um trabalho junto aos municípios de Cuiabá e Várzea Grande para nos próximos quatro anos diminuir o lançamento de esgoto no Rio Cuiabá, de forma a minimizar o impacto ambiental. Outra pauta de trabalho do parlamentar será a valorização dos servidores públicos.

Representante o Vale do Rio Araguaia, Daltinho destacou que a região já chegou a ter cinco representantes na Casa de Leis e que retorna ao Parlamento para atender os anseios da população dessa região. “Terei uma posição equilibrada e vou ajudar o meu estado com o governo instalado. O governador Pedro Taques pode contar comigo, porque sem o governador não faço nada para a minha região”.

Também participaram da solenidade de posse, o primeiro-secretário da Casa de Leis, Ondanir Bortolini (PSD); além dos deputados Baiano Filho (PSDB), José Domingos Fraga (PSD), Pedro Satélite (PSD), Adriano Silva (PSB) e Valdir Barranco (PT). Marcaram presença ainda o ex-governador Júlio Campos, o ex-deputado estadual Alexandre César, além de prefeitos e vereadores de vários municípios de Mato Grosso. Passaram pela solenidade também os secretários de Assistência Social e de Cidades, respectivamente, Max Russi e Wilson Santos. 


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
5 de Janeiro, 2017 - 19:21
Assembleia empossa os deputados Allan Kardec (PT) e Daltinho (SD)

Os deputados suplentes Allan Kardec Pinto Acosta Benitez (PT) e Adalto de Freitas Filho – Daltinho (SD) foram efetivados deputados estaduais na manhã de hoje (05/01), em solenidade presidida pelo vice-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho (PSB).

Daltinho (SD) assume vaga do ex-deputado Zé Carlos do Pátio, que renunciou ao cargo para comandar a prefeitura de Rondonópolis. Allan Kardec (PT) substitui o ex-deputado Altir Peruzzo que foi eleito para prefeitura de Juína, que substituiria o também prefeito eleito Emanuel Pinheiro (PMDB), para a governar Cuiabá.

Allan Kardec e Daltinho representam, respectivamente, as regiões da Baixada Cuiabana e do Araguaia, o primeiro mantendo a representatividade de Emanuel Pinheiro aos 15 municípios que compõem Cuiabá e arredores e o segundo fortalecendo a defesa da região Leste de Mato Grosso.

O deputado Eduardo Botelho, que presidiu a solenidade, demonstrou satisfação em ver a nova composição e as representações das regiões. “Estou muito feliz em ter um representante da Baixada Cuiabana e mais um do grande Araguaia”. Botelho também demonstrou otimismo referente à experiência dos empossados em legislar, tendo em vista que Allan Kardec esteve vereador por Cuiabá por um mandato e Daltinho já assumiu suplência na Assembleia na legislatura anos atrás.

O primeiro secretário da AL, Ondanir Bortolini (PSD) – Nininho, deu as boas vindas aos colegas e pediu harmonia e trabalho para melhorar a imagem da classe política. Nininho avaliou, também, que dois anos – tempo restante a atual legislatura - é um bom prazo para alcançar bons resultados. “Vocês têm dois anos para trabalhar para a população de seu Estado”.

Os dois deputados declararam situações posições políticas opostas: Allan Kardec deixou clara a oposição ao governo Taques e se colocou como defensor dos servidores públicos e “consequentemente, da qualidade dos serviços prestados à população”. Daltinho ofereceu apoio irrestrito ao Executivo. "Ogovernador Pedro Taques pode contar comigo”, afirmou Daltinho.

O petista garantiu, como bandeira, “um mandato voltado para o povo, para a melhoria de trabalho do servidor público”. Demonstrou-se orgulhoso por ser “oriundo de Santo Antônio do Leverger” e declarou ser uma “honra representar a Baixada Cuiabana no parlamento estadual”

O representante do Solidariedade desejou que “o curto mandato de dois anos possa refletir aos anseios da população” e vislumbrou que o novo “desafio” seja de “transformação, porém de bálsamos na vida da sociedade”.

Dois mil e dezessete começa com mais um parlamentar compondo a legislatura, Adriano Silva (PSB) reassumiu a suplência na última segunda-feira (02/01), em substituição ao deputado Max Russi (PSB), afastado para gerir a Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social. Deputado Adriano se identifica como professor e garante que irá “defender a educação, que é o primeiro passo para construção de qualquer outro projeto”. “Outra bandeira é ser um deputado distrital, que vai trabalhar para a região Oeste (Cáceres)”.


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
5 de Janeiro, 2017 - 19:14
Em Cuiabá, prefeita de Sinop destaca importância da união entre os municípios

A prefeita de Sinop, Rosana Martinelli (PR), participou da eleição da Associação Mato-grossense do Municípios nesta quinta-feira (05), em Cuiabá. A republicana ressaltou a importância da entidade e defendeu a união de todos os Municípios na defesa dos repasses de recursos da União e Governo do Estado.

"A união dos prefeitos é fundamental para o desenvolvimento e a AMM tem feito um excelente trabalho defendendo os Municípios junto ao Governo do Estado e a União, porque o grande desafio de todos os prefeitos que estão assumindo agora é fazer muito com pouco".

Rosana Martinelli lembrou ainda que a AMM teve importante atuação nas discussões envolvendo repasses do Fomento das Exportações (FEX) e da repatriação dos municípios. "O Neurilan foi um excelente presidente e merece a reeleição. Nesse momento de ajustes e cortes de gastos a AMM tem esse papel fundamental".

Em reunião com Neurilan, Rosana e os prefeitos de Sorriso, Ipiranga do Norte e Nova Ubiratã, Ari Lafim, Pedro Ferronato e Valdenir

Santos, respectivamente, entregaram um oficio solicitando que sejam revistos os valores das mensalidades pagas a AMM pelos Municípios.

"Esse momento é de arrocho e a AMM vai ter que fazer, o Consórcio vai ter que fazer e os Municípios. É momento de nos adequarmos a realidade que estamos vivendo", considerou Rosana, que junto com os prefeitos integra o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental Alto Teles Pires (Cidesa).

Segundo os prefeitos, o presidente da AMM pediu um prazo de 90 dias para então fazer uma assembleia com todos e discutir uma redução significativa dos valores cobrados.

Além da votação para a eleição da presidência da associação, a prefeita de Sinop aproveitou a oportunidade para dialogar com outros prefeitos e trocar informações sobre os primeiros dias de gestão. Ela lembrou que um dos primeiros de sua gestão é a mudança no horário de atendimento da Prefeitura de Sinop, que passará a ser realizado no período da manhã (07h às 13h), com base na experiência de outros Municípios e com o objetivo principal de gerar economia.

"O corte de gastos é necessário, por isso a redução do horário de atendimento. Com isso, vamos fazer seis horas e isso propõe economia de aproximadamente R$ 3 milhões com energia como na redução do uso de ar condicionado e até o consumo de café".


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
5 de Janeiro, 2017 - 14:42
Rosana Martinelli, prefeita de Sinop, recebe hoje o relatório com dados da transição de governo

A prefeita de Sinop, Rosana Martinelli (PR), recebe hoje o relatório com os dados da transição de governo. A informação foi confirmada por Ivete Mallmann, que é secretaria municipal de finanças e coordenou a equipe de transição montada pela nova prefeita.

O relatório traz dados de todas as secretarias, como orçamento, valores em caixa, compromissos a pagar, obras em andamento, obras paradas, projetos a serem executados. Assim será possível, segundo ela, manter tudo funcionando em dia, sem prejuízo a população. “Fizemos várias reuniões, não encontramos problemas no acesso as informações e agora montamos um relatório, com todos os dados, que será entregue a prefeita”, destacou Mallmann, que foi secretaria de transito na gestão de Juarez Costa e segue no primeiro escalão do governo republicano.

Umas das preocupações de Rosana é com o atendimento nos postos de saúde, com os dados do relatório em mãos poderá definir estratégias para ampliar o atendimento e a cobertura da atenção básica de Sinop.


Da redação


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
5 de Janeiro, 2017 - 14:30
Neurilan é reeleito presidente da AMM por aclamação

Pela primeira vez, desde a criação da entidade municipalista, há mais de três décadas, um ex-prefeito assume a AMM. A mudança no regimento interno da entidade ocorreu na primeira gestão de Fraga, iniciada há dois anos.

De um total de 132 prefeitos aptos a votar, 105 particiciparam do processo eleitoral, ocorrido nesta manhã. A posse será às 19h.

Neurilan foi o único candidato à presidência e a sua chapa reuniu prefeitos das mais variadas siglas partidárias.

No discurso feito nesta manhã, Neurilan disse que a mudança da Lei Kandir será a principal bandeira municipalista nacional da AMM em 2017.

A iniciativa visa, principalmente, a compensação integral aos entes federados das perdas de receita causada pela desoneração das exportações, estabelecida pela lei.

A AMM vai se articular para garantir a aprovação, no Congresso Nacional, do Projeto de Lei Complementar nº 288/2016, que prevê a alteração da Lei Kandir, que isenta o pagamento do ICMS sobre a exportação de produtos primários e semielaborados. Essa isenção prejudica os estados e as prefeituras, pois significa menos recursos nos cofres públicos. A alíquota de ICMS que incidia sobre a exportação antes da vigência da lei era de 13%, que foi reduzida a zero com a promulgação.

O presidente da AMM destacou que somente em 2015 os municípios deixaram de arrecadar cerca de R$ 2 bilhões devido à desoneração estabelecida pela lei. “Vamos nos mobilizar para garantir mais essa vitória para os municípios, que anualmente amargam significativos prejuízos financeiros”, assinalou.

A elaboração do Projeto de Lei 288 foi articulada pela AMM, que trabalhou em conjunto com a equipe do senador Wellington Fagundes, autor do projeto. “Vamos nos mobilizar para garantir mais essa vitória para os municípios, que anualmente amargam prejuízos financeiros devido à compensação insuficiente determinada pela Lei Kandir”, ressaltou Neurilan Fraga.

Todos os estados contabilizam prejuízos que afetam as contas públicas com a baixa compensação imposta pela Lei. Além de Mato Grosso, também acumulam as maiores perdas os estados de Minas Gerais, Pará, Rio Grande do Sul, Goiás, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso do  Sul, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, Rondônia, Maranhão, Tocantins e Amazonas.

Fraga salientou, ainda, que o município é o ente federado mais fraco, acumulando várias atribuições, como educação, saúde, infraestrutura, assistência social, entre outros. “É preciso a união dos prefeitos para superar a crise e fazer os enfrentamentos necessários”, assinalou.

Conheça os novos membros da diretoria da AMM:

Presidente de honra: Deputado Ondanir Bortolini, Nininho (PR)

Presidente: Neurilan Fraga (PSD) - Nortelândia

1º Vice-presidente: Mauro Rosa da Silva (PSD) – Água Boa

2º Vice-presidente: Luciane Borba Azóia Bezerra (PSB) – Juara

3º Vice-presidente: Thelma Pimentel Figueiredo de Oliveira (PSDB) – Chapada dos Guimarães

4º Vice-presidente: Josair Geremias Lopes (PSB) – Dom Aquino

5º Vice-presidente: Arnóbio Vieira de Andrade (PSD) – Marcelândia

Secretário Geral: Adalto José Zago (PSDB) – Apiacás

1º Secretário: Altir Antônio Peruzzo (PT) - Juína

2º Secretário: Atail Marques do Amaral (PR) – Poconé

Tesoureiro Geral: Marcos de Sá Fernandes da Silva (PSB) Santa Cruz do Xingu

1º Tesoureiro: Silvio José de Morais Filho (PSD) - Araguainha

2º Tesoureiro: Beatriz de Fátima S. Lemes (PMDB) – Nova Monte Verde

Conselho Fiscal

Juvenal Alexandre da Silva (PSDB) – Nova Marilândia

Mauriza Augusta de Oliveira (PMDB) – Nova Brasilândia

José Mauro Figueiredo (PSD) - Arenápolis

SUPLENTES

Jossimar José Fernandes (PSD) – Nortelândia

Leocir Hanel (PSDB) – Nobres

Eugênio Pelachim (PSC) – Porto Estrela.


Fonte: hiper noticias
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
SUPOSTO CAIXA DOIS:
     
5 de Janeiro, 2017 - 11:19
Bezerra levanta suspeita: "querem engavetar o caso Alan Malouf"

O presidente regional do PMDB, deputado federal Carlos Bezerra, levantou suspeitas sobre a soltura do empresário Alan Malouf, sócio do Buffet Leila Malouf, preso na 4ª fase da Operação Rêmora.

De acordo com o parlamentar, estariam tentando “arquivar” o caso, pois, em seu depoimento, Alan citou nomes que integram a atual gestão do Estado, como o do governador Pedro Taques (PSDB), afirmando que o ajudou a pagar dívidas não declaradas da campanha de 2014.

Ao falar sobre o caso, Bezerra relembrou episódios envolvendo a colaboração premiada do ex-presidente do Detran-MT, Teodoro Moreira Lopes e a prisão do empresário Willians Paulo Mischur, dono da Consignum, que foi preso na 2ª fase da Operação Sodoma, mas colocado em liberdade, após confessar pagamento de propina ao suposto grupo criminoso comandado pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

“Engavetaram um inquérito do Detran, pois estava a suspeita de que havia deputado envolvido e mais gente. Engavetaram o [caso] do consignado, também. Prenderam o cara [Willians Mischur] com R$ 1 milhão em sua casa, e soltaram o cara rapidamente. Dizem que havia gente do Governo envolvida”, disse, na noite do último domingo (1).

“Agora, estão querendo engavetar isso também [depoimento do Alan], pelo que me parece”, afirmou.

Alan foi preso no dia 14 de dezembro de 2016, e colocado em liberdade às vésperas de Natal (24), por decisão da juíza plantonista do Fórum de Cuiabá, Maria Rosi Meira Borba.

Bezerra disse ainda que o impacto das declarações de Alan ao Gaeco é imprevisível.

“Não sei onde [as investigações] vão parar, pois ele [Alan Malouf] começou a falar e o soltaram rapidinho, sem delação. Isso é um mau sinal. Não sei onde isso vai parar. É preciso aguardar um pouco”, afirmou.

Depoimento de Alan

No dia 16 de dezembro, ele prestou depoimento a promotores de Justiça. “Ao final da campanha, houve um débito não declarado, sendo que Pedro Taques me pediu apoio para o pagamento desse débito. Ajudei nessa composição, mas não me recordo, por hora, do montante”.

Na época em que os fatos vieram a tona, por meio de nota, o governador e o secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, classificaram as declarações de Alan "como uma tentativa sórdida e mentirosa de envolvê-los em ações criminosas das quais jamais tiveram conhecimento, tampouco delas deram ordem ou participaram". 

Alan relatou ao Gaeco que, em março ou abril de 2014, foi procurado por “seu amigo” Pedro Taques, em sua residência, ocasião em que o então senador lhe teria dito que gostaria de se candidatar ao Governo do Estado.

“Ele me solicitou ajuda no sentido de conseguir apoio de partidos e pessoas. O grupo de apoio à sua candidatura era formado por mim e outros empresários”, disse.

Segundo Alan, após vencer as eleições, Taques lhe perguntou se ele teria pretensão de ocupar algum cargo no Governo. Ele teria dito ao governador eleito que “não queria nada”.

Alan também disse aos promotores que foi procurado por Giovani Guizardi, casado com sua prima Jamille Grunwaldi, que lhe relatou a ocorrência de um esquema na Seduc, com envolvimento de empresários do setor da construção e servidores da pasta. “Ele me disse que havia descoberto um jeito de arrecadar o dinheiro referente aos pagamentos das dívidas da campanha do governador Pedro Taques. De pronto, eu recusei a participação no esquema. Mas, em uma segunda reunião com Giovani, decidiu aderir ao esquema deixando que ele gerenciasse tudo”, afirmou.

Alan Malouf também confessou que recebeu aproximadamente R$ 260 mil do esquema na Seduc, diretamente de Giovani Guizardi. “Recebi o valor em três ou quatro vezes, por meio de envelopes contendo dinheiro que foram entregues em minha residência ou nas dependências da minha empresa”, afirmou. 

Outro lado

Confira na íntegra a nota emitida pelo Palácio Paiaguás, rebatendo e negando o teor das declarações de Alan Malouf:

"Acerca do depoimento do investigado na Operação Rêmora, Alan Malouf, ao GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e NACO (Núcleo de Ações de Competências Originárias) do Ministério Público de Mato Grosso, no último dia 16, e divulgado à imprensa nesta segunda-feira (19.12), o Governo de Mato Grosso vem a público esclarecer o que segue:

01) O governador Pedro Taques e o secretário da Casa Civil, Paulo Taques, negam enfaticamente as afirmações levianas e absurdas do investigado Alan Malouf sobre a fantasiosa existência de valores não contabilizados (o chamado “caixa dois”) na campanha de 2014, e reiteram que todas as movimentações financeiras do referido pleito eleitoral encontram-se devidamente registradas na Prestação de Contas do PDT, partido pelo qual Pedro Taques disputou àquelas eleições - inclusive as despesas ainda não pagas – sendo que a prestação de contas da campanha foi aprovada sem ressalvas pela Justiça Eleitoral.

02) O governador e o secretário afirmam, ainda, que Alan Malouf jamais exerceu qualquer cargo ou delegação na arrecadação de fundos eleitorais, e que todas as doações, de pessoas físicas ou jurídicas (na época, permitidas) foram devidamente registradas. Portanto, caso haja qualquer valor que eventualmente tenha sido movimento pelo investigado e que não esteja contabilizado, não foi utilizado na campanha, cabendo apenas e tão somente ao investigado esclarecer origem e destino dos valores por ele mencionados.

03) O governador e o secretário classificam as declarações do investigando como uma tentativa sórdida e mentirosa de envolvê-los em ações criminosas das quais jamais tiveram conhecimento, tampouco delas deram ordem ou participaram. Lamentam, ainda, que o investigado tente envolvê-los nos atos ilegais, contrariando todos os demais depoimentos já prestados nessa investigação - com o claro propósito de desviar o foco das acusações que pesam contra si -, e informam que constituirão advogados para atuar no processo judicial e garantir que a verdade prevaleça.

E a verdade é uma só: Pedro Taques tem uma vida de luta contra a corrupção e os corruptos, já tento enfrentado e desmantelado inúmeras quadrilhas que agiam no Estado e no país, e jamais compactuaria com qualquer ato ilegal, especialmente relacionado a desvios de recursos públicos.

04) Por fim, o Governo do Estado esclarece que, embora o investigado tenha mantido relacionamento social com Pedro Taques, suas empresas jamais venceram qualquer licitação ou contrato na administração estadual a partir de 01 de janeiro de 2015, uma vez que o governador, por estrita obediência às leis, nunca interferiu e jamais interferirá em qualquer processo de aquisição ou licitação no âmbito do Governo do Estado ou em qualquer outro Governo."

Cuiabá-MT, 19 de dezembro de 2016.

GCOM – Gabinete de Comunicação do Governo de Mato Grosso.


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
5 de Janeiro, 2017 - 08:18
Barranco quer regularização fundiária, melhor educação e direitos dos servidores

Desde que assumiu o mandato, o deputado estadual Valdir Barranco tem focado em três pontos: campo, justiça social e educação. Para atender essas demandas, tem participado de inúmeras reuniões no gabinete e percorrido cidades do interior de Mato Grosso para contato direto com lideranças políticas, movimentos sociais e, sobretudo, com os pequenos agricultores.

Barranco tem lutado pela regularização fundiária, tanto rural quanto urbana. Segundo ele, esse é um dos graves problemas sociais. “A falta de títulos atinge tanto o homem do campo quanto o da cidade. Por todo o estado, encontramos assentados com mais de 20 anos na terra e que ainda não têm a escritura definitiva”, observou. De acordo com o deputado, na área urbana, o quadro também é crítico: mais de 70% dos imóveis em Várzea Grande e pelo menos 60% dos que estão em Cuiabá não têm escritura.

Barranco já visitou, em pouco mais de 70 dias, 62 cidades. Esteve nas regiões sudeste, Araguaia e norte. Em Sinop, por exemplo, participou de reunião com dirigentes da Companhia Energética Sinop (CES) para tratar do reassentamento de 244 famílias dos PAs 12 de Outubro, localizado no município de Cláudia, e  Wesley Manoel dos Santos, em Sinop, que serão atingidas pelas barragens da Usina Hidrelétrica (UHE) que está sendo construída pela CES.

Outra preocupação do deputado Valdir Barranco diz respeito à saúde pública. Ele critica o atraso no repasse para os hospitais filantrópicos e conveniados, entre eles o Hospital de Câncer. “O HC mantém 106 leitos e faz cerca de 700 procedimentos por dia, isso sem falar nos atendimentos externos. O último convênio com o Estado foi assinado em 2015, no valor de R$ 650 mil. Um outro, de R$ 870 mil, continua aguardando assinatura. A última verba foi repassada ao HC – R$ 1,6 milhões – no governo passado. Isso não pode continuar”.

Na educação, o que mais preocupa são os problemas de infraestrutura nas escolas. Paredes rachadas, falhas elétricas e hidráulicas, além da falta de pintura são comuns no interior do estado. Algumas escolas começaram a ser recuperadas, mas as obras estão paradas há mais de um ano, como a Tancredo Neves, em Carlinda.

Valdir Barranco também está trabalhando pela valorização do servidor público. Tem usado a tribuna da AL para a garantia dos direitos trabalhistas dos servidores, como salários em dia e o pagamento do RGA em 2017. “O governo anterior tinha orçamento menor e não atrasava salários. Além disso, garantia a RGA dos servidores, o que o atual teima em negar. Vou lutar até o fim para garantir os direitos dos trabalhadores”.

Em números finais, desde setembro deste ano, quando assumiu seu mandato, o deputado apresentou à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa 10 requerimentos, 4 indicações, 1 projeto de lei e 2 moções de aplausos. Suas emendas, no valor de R$ 5,3 milhões, já foram apresentadas e serão destinadas a 60 municípios, cooperativas e sindicatos. “Tentei ser o mais justo possível e atender o maior números de cidades, cooperativas e sindicatos”, ponderou.


Da Assessoria


 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
5 de Janeiro, 2017 - 07:58
“Depois que deixei a Prefeitura há 12 anos houve um esvaziamento em seu Parque Industrial”, critica Jaime

Assumindo o cargo de secretário municipal de Assuntos Estratégicos, o ex-senador Jaime Campos (DEM) teceu críticas aos ex-prefeitos de Várzea Grande na manhã desta quarta-feira (04.12).

Segundo ele, depois que deixou a Prefeitura de Várzea Grande há 12 anos, houve um esvaziamento em seu parque industrial.

“Vou dar dois exemplos: a Souza Cruz tinha sua distribuição em Várzea Grande e foi embora, a Ipiranga tinha uma base de petróleo e foi embora, por falta de uma política, de um respeito entre o Poder Público e a própria empresa”.

Ainda conforme Jaime, “quando deixei a prefeitura o índice de ICMS era de 7,6%, hoje, o índice é de 4%, houve um descréscimo de 50% em 12 anos. Quando deixei a prefeitura nós tinhamos uma das melhores rendas per capita, hoje, nós temos uma das piores. Várzea Grande é uma cidade empobrecidade e temos que mudar isso”.

Sobre a nova pasta, Jaime garantiu que buscará estretégias, não só através de captação de recursos, mas com uma parceira com governo Federal, governo do Estado, com o setor privado, que é fundamental.

“A Secretaria terá basicamente quatro funcionários, teremos dois engenheiros, um advogado e uma secretária, que é suficiente. Nós pretendemos fazer grandes investimentos, nas obras de infraestrutura na cidade e fazer uma política de atração, buscar mais indústrias, mais comércios, mais prestadoras de serviço para Várzea Grande”.

Questionado sobre o orçamento, o secretário ponderou que não passa de R$ 600 mil ao ano e que será suficiente para pagar os funcionários.“Não é uma secretaria que vai executar, seu orçamento é quase irrisório, mas com um papel prepoderante o sentido de ter estratégias para investimentos no município”.

Em relação as primeiras estratégias, Campos ressaltou a importância de trabalhar com a Caixa Ecônomica Federal para buscar recursos através de um financiamento para pavimentar de 30 a 40 bairros na cidade.

“Nós temos a pretenção também para ampliar o Pronto-Socorro para o segundo pavimento, também queremos revitalizar a avenida Ulisses Pompeu e avenida Julio Campos, pretendemos também fazer um estádio no bairro Cristo Rei com capacidade para cinco mil pessoas”.

Sobre as conversações com o governo do Estado e as pretensõoes para 2018, Jaime afirmou que é muito cedo para falar sobre isso, até porque a Justiça Eleitoral não permite fazer campanha aberta. “Qualquer manifestação política agora é muito precoce”.

E emendou: “Nós não vamos confundir política partidária com política estratégica de gestão pública. Até porque seria desrespeitoso a confiança da própria prefeita. Estamos discutindo gestão estratégica para melhorar o desenvolvimento de Várzea Grande. Agora quando fala de processo político, tem que se caminhar de forma institucional, partidariamente”.


Fonte: VG Notícias
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
Política
     
4 de Janeiro, 2017 - 15:06
Mendes fez licitação de R$ 700 milhões a "toque de caixa"

O deputado federal Valtenir Pereira (PMDB) criticou o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), e defendeu a auditoria no contrato de licitação da iluminação pública no Município, no valor de R$ 712 milhões.

De acordo com o parlamentar, o processo de licitação - que culminou na escolha do Consórcio Cuiabá Luz, da Bahia - causou “estranheza”, uma vez que teria sido realizado “a toque de caixa” por Mendes.

O contrato que estabelece uma parceria público-privada (PPP) da iluminação será auditado por determinação do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB).

“O prefeito anterior não tinha perspectiva de seguir em frente, pois desistiu da disputa eleitoral. Mas por que não deixou que o próximo prefeito fizesse esse processo licitatório? Ele preferiu fazer ‘a toque de caixa’, deixando para assinar contrato na reta final”, afirmou, durante entrevista à Rádio Capital FM na manhã desta quarta-feira (4).

“É uma coisa que precisa ser mais bem analisada. Não precisa de pré-julgamento. Mas é muito esquisito em uma reta final [fazer essa licitação]. Em um contrato dessa magnitude e complexidade, era interessante que uma nova gestão tocasse esse processo”, completou.

Ainda de acordo com Valtenir, a avaliação de conformidade do contrato com o Consórcio Cuiabá Luz – determinado por um dos 13 decretos baixados nesta semana - é importante para demonstrar transparência do novo gestor.

“É importante que Emanuel faça um pente fino nesse contrato para conhecer os pormenores e tomar as providências que achar necessárias”, declarou o deputado, que também ressaltou a importância da auditoria no contrato que repassa os serviços de saneamento para empresa RK Partners, que é credora do Grupo Galvão, dono da CAB Cuiabá.

“Berço esplêndido”

Valtenir Pereira também defendeu o decreto baixado por Emanuel, que proibiu o Governo do Estado de fazer intervenções destinadas à melhoria da mobilidade urbana e ligadas às obras da Copa sem a autorização do Município.

“Desconsideraram a Prefeitura de Cuiabá e o prefeito da ocasião ficou dormindo em ‘berço esplendido’, deixando as coisas acontecerem, como se as obras não tivessem sido realizadas em Cuiabá”, afirmou.

Valtenir não citou nomes, mas durante a execução das obras da Copa do Mundo, a cidade foi administrada por Chico Galindo (PTB) e Mauro Mendes.

Valtenir deu o exemplo do Viaduto da UFMT, onde motoristas e pedestres enfrentam dificuldades no período de chuva, devido ao alagamento da região.

“Um projeto em que a Prefeitura foi omissa. O prefeito da época ‘dormiu em berço esplendido’ e deixou uma obra daquela magnitude ser realizada da forma que foi. Isso aconteceu, pois o prefeito da época não acompanhou e nem participou da elaboração do projeto. Deixou por conta do Estado e não deu sua cota de participação. E hoje, a população padece”, pontuou.

Além disso, Valtenir avaliou que o decreto não causa um estremecimento na relação institucional entre a Prefeitura e o Governo do Estado.

“Se a pessoa particular for fazer um poço artesiano, construir uma casa ou um empreendimento, precisa da autorização do Poder Público municipal. Por que o Estado, quando vem fazer uma intervenção, não pode dialogar com o município?”, questionou.

“Eu acho extremamente importante. É importante que o prefeito conheça o projeto de obras e intervenções na cidade, assim como a equipe técnica da Prefeitura, para acompanhar e ajudar na elaboração e execução desses projetos”, pontuou.


Fonte: Midia News
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
 menos   3   4   5   6   7   8   9   mais 
ENQUETES
VARIEDADES
OPINIÕES
NOTÍCIAS
Copyright © 2010 - Nortão Notícias
Quem Somos  |  Denuncie  |  Contato

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player